Bracarae - O fórum de Braga! • Ver Tópico - Eléctrico

Eléctrico  

Espaço para a discussão sobre os transportes.

Re: Eléctrico

Mensagempor Meireles88 » quarta mar 26, 2014 8:19 pm

karlussantus Escreveu:Obrigado Meireles por colocares aqui a notícia! :drink:


De nada :drink:

karlussantus Escreveu:
Braga vedou o acesso das pessoas à própria cidade. Braga está um bocado bloqueada. Há 40/50 anos, tinha 35 mil habitantes. Entretanto, cresceu para 85 mil. E há muita gente que chegou a Braga, mas não conhece a cidade. Não acede ao centro porque não tem como. O acesso ao centro é difícil.


Na verdade Braga há 40/50 anos tinha 50.000h em 1991 cerca de 85.000, 2001 110.000, e agora tem cerca de 135.000 (dados do INE). Quando falamos de cidade temos que usar o termos que se usam em Portugal.
Na verdade as pessoas têm como aceder ao centro, não estamos em Londres onde a cidade tem mais de 50 km de extensão, agora esse centro não está facilmente acessível nem consegue atrair os jovens da UM e os estabelecimentos comerciais, que se preferiram instalar nos arredores da UM.


Braga tem o centro bem servido para os veículos individuais motorizados, para os TC's, Bicicletas e Peões ou não está servido ou está muito mal servido. Depois tens muita malta que se instalou da Júlio Fragata e da Bartolomeu Dias para Este e não conhece a cidade daqui para Oeste. É preciso coser isto tudo e criar a possibilidade das pessoas escolherem o seu meio de deslocação com as mesmas condições, e não o que tens agora.

karlussantus Escreveu:
O turismo cresceu imenso. É turismo religioso, turismo cultural, turismo de negócios. As universidades realizam conferências, congressos internacionais. Braga criou condições para ser um polo de atração de dimensão internacional, nomeadamente captando turistas de longa duração, seniores, do norte da Europa. Numa Braga tão perto
do aeroporto, poderão, em qualquer altura, ir visitar os netos, com toda a tranquilidade, à Holanda, à Bélgica, ou a outros países.


Mentira, o turismo estagnou na sua componente mais importante o número de dormidas, o Minho perdeu 147.466 dormidas enquanto o Porto ganhou 323.399 e o Grande Porto ganhou 395.300, podem consultar aqui.
Braga tinha e tem condições para captar turistas e turistas de longa duração, mas precisa de:
- ligação ao Gerês para funcionar como rótula de ligação/ porta de entrada no PNPG (AFSC-Braga-PNPG), o lobby do Porto conseguiu fazer a AE de ligação regional a Chaves não a partir de Braga que serviria a área de influencia de Braga e de Chaves ao longo da EN103 e de ligação ao Gerês, mas a sul a partir de Guimarães a Vila Pouca de Aguiar onde serve para nada, o resultado está à vista;
- ligação competitiva às restantes cidades minhotas para criar pacotes comuns, neste momento o Porto está mais próximo de Viana, Guimarães, Barcelos, Esposende pois tem ligações rodoviárias diretas e tem ligações ferroviárias de excelência, Braga tem um ramal que só liga ao Porto;
- promover a marca Minho, neste momento usam o dinheiro para promover o Porto e Norte com o resultado conhecido;
- ligação ao AFSC, bastavam 13km de linha ferroviária desde S. Romão (Trofa) até ao AFSC e Linha de Leixões, para colocar o AFSC ligado a Braga e na rede da euro-região;
- ...

Braga tem tudo para ser mas não é, neste fragmento de entrevista diz-se tudo o que os bracarenses gostam de ouvir e que normalmente sai no Correio e no Diário, mas na verdade nada se tem concretizado porque os políticos locais não corrigem o que esta em falta, e aqui mais uma vez se faz precisamente o mesmo erro.

Estagnou nas dormidas certo? Porque os turistas andam por cá, precisam é de ter mais e melhor oferta de transporte e informativa para ficarem cá a dormir. Faz falta também um TC intermunicipal.

karlussantus Escreveu:
Ainda este ano, espero conseguir ligar a universidade à estação de caminhos de ferro, em linha reta, cruzando a Avenida Júlio Fragata e atravessando o centro da cidade pela Rua dos Capelistas. É uma decisão de fácil execução.


Em relação à Rua dos Capelistas, já referi que entendo que o ideal seria utilizarem o interstício onde estava a "vila" e o arruamento desde o Campo da Vinha até ao Largo de S. Francisco.


A "Vila" é privada. Na Rua dos Capelistas passam camiões de descargas e estás a ver mal o percurso que penso ser o desejado. Não vejo problema nenhum em passar ali a direito o autocarro. Acho até que vai ser uma linha muito procurada.

karlussantus Escreveu:Colocar um cruzamento nesta via, fechar o sinal para o abrir para a ligação "Rua D.Pedro V - Rua Nova de Santa Cruz" parece-me que só pode resultar numa clara diminuição da capacidade da Av. Júlio Fragata, o que levará a enormes filas em hora de ponta a julgar pelo nível de saturação da circular desde o nó da Confeiteira até à zona do Minho Center (mais de 100% em quase todo este troço, segundo o estudo do Quadrilatero), basta ver as filas que se criam quando uma das faixas fica inutilizada por um acidente.
Em relação à Avenida Júlio Fragata estamos a falar de um tráfego médio diário (TMD) de cerca de 75.000 veículos. Entupir aqui o transito com a colocação de um cruzamento, implica também entupir a Frei Bartolomeu dos Martires que tem um TMD perto de 70.000, a João Paulo II cerca de 40.000 do lado do centro e perto de 50.000 do lado da UM. Este é claramente o "coração" da circulação automóvel da cidade e da ligação à região.
Estamos a falar de um TMD 5x maior que a "A3 entre Cruz-Braga", 3x a 4x as EN mais congestionadas do Distrito "EN101 Guimarães-Taipas", "EN101 em Vila Verde", "EN101 Palmeira", "EN103 Braga-Barcelos", ... próximo do TMD da A28 entre Matosinhos e Leça da Palmeira, superior à A3 entre as portagens e o cruzamento com A4, idêntico à A1 em Alverca, ...


Não podes comparar com o corte de uma via porque isso nunca aconteceria, portanto é incomparável com um acidente.
Eu digo-te assim, na João XXI tens mais carros/min a meio da tarde do que na Júlio Fragata em hora de ponta... O coração da circulação automóvel é-o muitas vezes feito por tráfego automóvel desnecessário, de malta que circula na urbe de manhã e à noite e não sai da cidade, faz em média 15 km/dia. Se não criares melhorias significativas para os peões, para os ciclistas e para os TUB vais continuar a ter a mesma coisa. Se criares começa a passar ali a malta que precisa mesmo de passar, e com menos trânsito.
O túnel criará uma pressão enorme na rotunda das piscinas e terás muitos problemas para resolver lá em baixo e na nova saída do mesmo, uma vez que nunca mais ias conseguir ter ali a velocidade a 50 km/h, já para não falar no tempo, nos custos de construção, no transtorno para a população e nos custos de manutenção de um túnel!

karlussantus Escreveu:Todos já defendemos aqui a ligação Estação-Centro-UM muito antes de ser falada politicamente, defendemos a reposição do eixo "Rua D. Pedro V -Rua Nova de Santa Cruz" muito antes de andar pelos jornais, estamos portanto de acordo com o conceito apresentado, contudo as soluções apresentadas para a efetivar o conceito é que me deixam com [b]medo[/b]!

Fala-se de cidade amiga dos peões mas depois defendem a manutenção da via arterial na superfície em choque com um eixo que se pretende citadino "Centro-UM", e a introdução de circulação de Autocarros num eixo pedonal de excelência Campo da Vinha-Capelistas-Avenida Central...


Precisamos masé de mostrar que a aposta é de um novo paradigma e não de continuar a promover o uso do automóvel e o mesmo paradigma de sempre. É preciso dar condições ao peão, ao ciclista e ao transporte público, e isto sim será uma cidade amiga das pessoas e não do veículo individual!

Oh Carlos o Campo da Vinha neste momento é tudo menos de excelência pedonal!
http://www.mariomeireles.net

www.aasdsv.com -> Associação dos Amigos de São Domingos/São Vítor
Avatar do Utilizador
Meireles88
Administrador
 
Mensagens: 3099
Registado: quarta set 10, 2008 12:10 am

Re: Eléctrico

Mensagempor karlussantus » quinta mar 27, 2014 1:18 am

Meireles88 Escreveu:
Braga tem o centro bem servido para os veículos individuais motorizados, para os TC's, Bicicletas e Peões ou não está servido ou está muito mal servido. Depois tens muita malta que se instalou da Júlio Fragata e da Bartolomeu Dias para Este e não conhece a cidade daqui para Oeste. É preciso coser isto tudo e criar a possibilidade das pessoas escolherem o seu meio de deslocação com as mesmas condições, e não o que tens agora.


De acordo, defendemos o mesmo.

Meireles88 Escreveu:Estagnou nas dormidas certo? Porque os turistas andam por cá, precisam é de ter mais e melhor oferta de transporte e informativa para ficarem cá a dormir. Faz falta também um TC intermunicipal.


Estagnou nas dormidas e por consequência no retorno económico, porque são turistas que dormem e fazem o grosso do consumo no Porto e depois visitam as restantes cidades dos "arredores" (Porto e Norte). Dantes tínhamos duas regiões a Verde Minho e a Alto Minho que promoviam as cidades minhotas como destino e não como local também a visitar. Estagnou em Braga, porque nas restantes cidades do Minho a perda foi evidente, Viana do Castelo passou para metade, com excepção do ano de 2012 em Guimarães onde a CEC conseguiu efetivamente aumentar o número de dormidas para 200.000, já todo o investimento conhecido da CEJ resumiu-se em mais 100 dormidas que em 2011.
Quantas notícias tivemos ao longo do ano no Diário e no Correio a falarem dos recordes que estávamos a registar no turismo...

Meireles88 Escreveu:A "Vila" é privada. Na Rua dos Capelistas passam camiões de descargas e estás a ver mal o percurso que penso ser o desejado. Não vejo problema nenhum em passar ali a direito o autocarro. Acho até que vai ser uma linha muito procurada.


O espaço de circulação é público, o caminho entre o campo da vinha e o Largo S. Francisco não pode ser fechado, os privados tentaram isso e mesmo no tempo da "outra senhora" :) foram obrigados a repor a normalidade. Criar ali um novo arruamento digno do centro da cidade, parece-me que até nesse sentido seria benéfico.

Se não é o trajeto que coloquei no Campo da Vinha, então vem desde baixo e atravessa também a zona pedonal do Campo da Vinha passando ao lado do parque infantil.


Meireles88 Escreveu:Não podes comparar com o corte de uma via porque isso nunca aconteceria, portanto é incomparável com um acidente.
Eu digo-te assim, na João XXI tens mais carros/min a meio da tarde do que na Júlio Fragata em hora de ponta... O coração da circulação automóvel é-o muitas vezes feito por tráfego automóvel desnecessário, de malta que circula na urbe de manhã e à noite e não sai da cidade, faz em média 15 km/dia. Se não criares melhorias significativas para os peões, para os ciclistas e para os TUB vais continuar a ter a mesma coisa. Se criares começa a passar ali a malta que precisa mesmo de passar, e com menos trânsito.
O túnel criará uma pressão enorme na rotunda das piscinas e terás muitos problemas para resolver lá em baixo e na nova saída do mesmo, uma vez que nunca mais ias conseguir ter ali a velocidade a 50 km/h, já para não falar no tempo, nos custos de construção, no transtorno para a população e nos custos de manutenção de um túnel!


Um acidente que inutiliza apenas uma das faixas está a reduzir a capacidade da via, um semáforo que fecha o sinal durante vários segundos fará o mesmo, quando a saturação da via está acima dos 100% naquela zona.
A Avenida João XXI tem cerca de 37.000, metade da Júlio Fragata, na hora de ponta a Júlio Fragata e a Frei Bartolomeu do Mártires ultrapassam os 5.000/hora enquanto que a João XXI fica-se pelos 2.400/hora, nas restantes horas os valores são inferiores.
Como já disse, a mesma "argumentação" que diz que o túnel de 300 metros é "caríssimo", nefasto ... ... é a mesma que defende 7km de túneis na encosta do Bom Jesus, um mega nó no meio do monte entre Adaúfe e Gualtar, para criar uma circular externa que erradamente faz veicular a ideia que assim se vai diminuir o transito na Fragata para valores comportáveis com um cruzamento. O acesso ao Hospital (TMD 18.000 veículos), o acesso ao BragaParque, o acesso ao centro, o acesso ao MinhoCenter, o acesso à Variante de Prado (TMD 40.000 veiculos), o acesso às zonas residenciais mais densas da cidade,... para a maioria da população da cidade continuará a ter este eixo como preferencial, a menos que o degradem de tal forma que...

O túnel ia permitir criar cidade na superfície, criava-se um acesso limpo entre a Rua D. Pedro V e a Rua Nova de Santa Cruz com velocidades baixas, para os TC e modos suaves, sendo ainda este o principal eixo na superfície. O túnel retirava a pressão da rotunda porque criaria maior capacidade global, e retirava pressão junto ao BragaParque porque permitiria o acesso aos parques no subsolo além do acesso da superfície. O túnel permitiria criar uma praça na superfície, requalificar toda aquela zona, alargar passeios, colocar serviços de suporte à circulação ciclável, atravessamento pedonal de "excelência"/citadino ...
Para a redução da velocidade no túnel e restante circular existem outras formas de o fazer.

Com o cruzamento na superfície quanto tempo tem que se fechar o sinal para os peões atravessarem a Fragata!? Quanto tempo perdido entre ciclos temos!? Sabendo que temos em média 5250/hora e que há períodos do ano em que o valor das horas de ponta é superior, que cálculos apresentam para demonstrar que é possível o cruzamento na superfície!?

Meireles88 Escreveu:Precisamos masé de mostrar que a aposta é de um novo paradigma e não de continuar a promover o uso do automóvel e o mesmo paradigma de sempre. É preciso dar condições ao peão, ao ciclista e ao transporte público, e isto sim será uma cidade amiga das pessoas e não do veículo individual!

Oh Carlos o Campo da Vinha neste momento é tudo menos de excelência pedonal!


A Rua dos Capelistas e o Largo de S. Francisco com as esplanadas no exterior, lojas e circulação pedonal assinalável parecem-me locais com movimento assinalável e onde é agradável aos peões circular. O Campo da Vinha foi alvo de uma intervenção lastimável, mas tem movimento com os bares, restaurantes, parque infantil, articula com a Rua Justino Cruz... falava-se de requalificar aquela área pedonal, agora já não é necessária!?

Precisamos de mostrar uma aposta nos TCs e nos modos suaves, e a criação do acesso franco na superfície e da ligação Estação-Centro-UM (anel de mobilidade) seria a forma de o fazer, sem destruir a competitividade de Braga no acesso rodoviário.
Imagem
karlussantus
Administrador
 
Mensagens: 3633
Registado: quarta fev 20, 2008 6:41 am
Localização: Braga

Re: Eléctrico

Mensagempor Meireles88 » quinta mar 27, 2014 10:44 am

Oh Carlos sabes que eu sempre defendi um cruzamento ao invés do túnel. A saturação daquela via não é de 100% nem anda lá perto. Não sei que números são esses que estás a dizer, mas estão muito longe da verdade. Na Júlio Fragata em hora de ponta passam menos carros do que na João XXI e quem te garante isto sou eu. A supressão de uma via não é comparável à colocação de semáforos, porque os carros vão ocupar menos espaço com duas vias do que com uma! Na João XXI tens semáforos, tens fila (pequena que escoa muito bem) com 3 vias e ninguém se queixa. Os peões atravessam também e a largura é a mesma. Se fizerem cumprir ali o limite de velocidade as coisas são bem mais fáceis, como são na rodovia entre o Santos da Cunha e a UM.

O túnel não te ia retirar pressão na rotunda, ia aumentar porque ias ter na mesma a malta que vai à rotunda a ir lá. Para além disso ainda ias ter mais gente que agora usa a Júlio Fragata a ter que vir às piscinas, por exemplo, a malta que desce do cemitério não vai conseguir entrar no túnel e vai ter que ir à rotunda e a malta que vai para o prédio verde e para o BragaParque igual (podias fazer a entrada direta, mas com as velocidades que lá se praticarão vai ser incomportável) e ainda vais ter a malta que quer ir à rotunda do BragaParque e/ou que vem da rotunda do BragaParque a ter que vir à rotunda das piscinas. Resolves? Como? Passa no túnel da avenida e vê se se resolveu alguma coisa. É que a malta não circula lá a 50 km/h nem nada que se pareça. Já viste a manutenção (falta dela) no da avenida?

criar uma praça na superfície, requalificar toda aquela zona, alargar passeios, colocar serviços de suporte à circulação ciclável, atravessamento pedonal de "excelência"/citadino ...

Consegues isso tudo diminuindo o nº de carros que ali passem. Como? Com melhoria na qualidade dos TC's, Pedonal e Ciclável as pessoas que se deslocam na cidade passam a fazê-lo de outra forma e isso diminuirá drasticamente o nº de veículos motores a circularem ali.

O tráfego não se resolve com mais uma megalomania, a ser enterrado etc etc. Ali não temos nenhuma circunvalação nem nenhuma cril, nem crel nem nada que se pareça. Poderás compará-la a outras avenidas com semáforos etc etc, a variantes não.
Ah, e ias colocar pressão na D.Pedro V e na Rua Nova de Santa Cruz.


Eu não concordo com a variante externa a passar junto ao Bom Jesus. Ali a acontecer ou é em túnel durante toda a sua travessia ou vai estragar o acesso aos escadórios. É diferente Carlos, não estás a enterrar no meio da Urbe onde não tens grande espaço à volta, estás a enterrar no meio do monte para não vedar o acesso ao património. A variante externa é uma coisa megalómana que não me parece necessária para a nossa cidade, desde que se redesenhe o tráfego e se crie um TC verdadeiramente cómodo e rápido.

Quanto a um semáforo ali não sei o tempo, mas será o mesmo que na João XXI. Provavelmente há formas de calcular isso. Mais uma vez, tens menos carros ali do que na João XXI. Esses teus números estão errados. Na VCI passam 130 000 carros/dia. Tás a dizer que ali passam metade do tráfego da VCI, que não passa, nem de perto nem de longe. E estás a dizer que tem o mesmo tráfego que a Via Norte.. não me parece. Esses números são do Quadrilátero?(lol)

A zona pedonal é um bocado estranha Carlos. Já vi gente a reclamar com um ciclista que ia ali a passar a 10 e tinha acabado de passar um carro para aí a 15/20 e quem quiser que se desvie e ninguém dizia nada. E tens carros e camiões parados e a malta circula sem reclamar (o que não devia acontecer). Ora se a malta não se importa com isto porque se importará com um minibus? Tens um movimento muito mas muito maior na Rua do Souto e passam lá carros todos os dias.
Está-se a falar de uma rua da zona pedonal partilhada com TC's (não esquecer que existe já um regulamento municipal para a circulação de veículos automóveis nesta zona da cidade), mas podia-se ter perfeitamente uma zona de coexistência, as zonas 20 (apesar de eu achar que não é isso que se pretende ali). Continua a ser necessária a requalificação daquela área pedonal, porquê que deixaria de ser necessária?

"Competitividade do acesso rodoviário" Carlos Braga é a nº1 na sinistralidade automóvel, não é por ser competitiva, é por ter auto-estradas nas zonas citadinas. É por permitir que as pessoas cruzem a cidade a +70km/h. Ninguém anda entre a UM e o Santos da Cunha ou entre as bombas da repsol e as infias a 50 km/h quando o limite é esse! Agora o problema é dos condutores que não cumprem ou é do tipo de construção das vias que convidam a essas velocidades? Eu diria que o problema é da estrutura que leva a que os condutores não cumpram a lei. Portanto é preciso deixar de ser "competitivo" na sinistralidade e reduzir o volume de tráfego com um aumento da qualidade do tc, nos passeios e nas vias cicláveis. Ou queremos isso verdadeiramente ou então não queremos e continuamos na mesma.
http://www.mariomeireles.net

www.aasdsv.com -> Associação dos Amigos de São Domingos/São Vítor
Avatar do Utilizador
Meireles88
Administrador
 
Mensagens: 3099
Registado: quarta set 10, 2008 12:10 am

Re: Eléctrico

Mensagempor Duarte » quinta mar 27, 2014 7:50 pm

A TUB bem pode querer pôr autocarros a passar na Rua dos Capelistas mas cheira-me que a câmara nunca irá permitir devido ao desagrado dos comerciantes e dos peões e esta seria uma medida anti-eleitoralista. Além disso há la uma esplanada, mobiliário urbano e ao nivel de movimento de peões acho que é tão frequentada como a rua do Souto, iria estragar toda a dinâmica que a rua tem. Também me pergunto como seria feito o resto do percurso se a Av. Central tem (e muito bem) sentido único.Quando se fala de devolver as cidade aos peões querem pôr la veículos de grandes dimensões a passar de 5 em 5 minutos só para a linha ter menos 2/3 minutos de atravessamento? O percurso na zona pedonal não se pode fazer bem a pé ou de bicicleta (bikesharing junta às principais paragens)? Não percebo estas contradições, na ânsia de querer tudo e mudar tudo radicalmente e rapidamente não irá dar bom resultado...
Por ultimo em relação a este tema, a ligação UM - Centro - Estação (passando nas proximidades da C. Camionagem) já existe, é a 24. Basta fundir a 24 com a 33 (que é o que acontece ao fim de semana com a 66, ou seja, é eliminar as outras duas e pôr esta a funcionar também ao durante a semana) e já se consegue aumentar a frequência para 15 min, em vez dos actuais 25 min da 24 e 40min da 33. Eliminando a barreira da Júlio Fragata a linha fica ainda mais apelativa e eficaz.

Essa proposta do anel da mobilidade é outro contra-senso, então se o objectivo é fazer linhas rectas, esse anel proposto dá umas voltinhas jeitosas, é que nem há estrada que ligue o ELeclerc ao super movimentado apeadeiro de Ferreiros (onde já la passam muitas linhas que lhe garantem um frequência de 15 min no minimo), sem ser a dar meia volta e voltar para trás.

Em relação ao túnel a minha opinião mantêm-se, é enterrar todo o trânsito que ali passa apenas por atravessamento, colocar radares de velocidade fixos e criar um cruzamento semaforizado para permitir uma eficaz ligação entre as duas ruas e descongestionar as rotundas (o tráfego já não precisam de la ir para dar a volta...), mais espaço livre à superfície para jardim, peões e ciclistas. Além disso, todo o congestionamento que iria haver sem o túnel rapidamente a população revoltava-se e a câmara não querendo perder as eleições voltava a pôr tudo igual.

Voltando à TUB a minha solução é esta:
viewtopic.php?p=59570#p59570
|Days of War|
Avatar do Utilizador
Duarte
Administrador
 
Mensagens: 5088
Registado: quinta mai 21, 2009 9:51 pm
Localização: Braga

Re: Eléctrico

Mensagempor karlussantus » sexta mar 28, 2014 2:50 am

Meireles88 Escreveu:Oh Carlos sabes que eu sempre defendi um cruzamento ao invés do túnel. A saturação daquela via não é de 100% nem anda lá perto. Não sei que números são esses que estás a dizer, mas estão muito longe da verdade. Na Júlio Fragata em hora de ponta passam menos carros do que na João XXI e quem te garante isto sou eu. A supressão de uma via não é comparável à colocação de semáforos, porque os carros vão ocupar menos espaço com duas vias do que com uma! Na João XXI tens semáforos, tens fila (pequena que escoa muito bem) com 3 vias e ninguém se queixa. Os peões atravessam também e a largura é a mesma. Se fizerem cumprir ali o limite de velocidade as coisas são bem mais fáceis, como são na rodovia entre o Santos da Cunha e a UM.


Os números podem ser consultados no estudo de mobilidade do quadrilatero, a saturação é superior a 100%. O eixo Júlio Fragata - Bartolomeu Dias é de longe o que tem maior TMD e é de longe o que tem maior TMH na hora de ponta, a João XXI nem a metade chega na hora de maior fluxo, enquanto que no total do dia se fica pela metade da Fragata.
Além disso, em relação aos semáforos do entroncamento da João XXI com a Rua Martins Sarmento, cada ciclo só fecha uma vez o fluxo principal por pouco tempo, o necessário para o atravessamento dos peões e para o fluxo de alguns carros.
Já no cruzamento que estamos a falar, temos os seguintes sentidos (a vermelho) para suprir, a que acresce o atravessamento dos peões (a amarelo).
http://i245.photobucket.com/albums/gg64 ... ragata.png

Ponderam suprir estes sentidos todos!? Quanto tempo estará fechado o sinal ao fluxo principal 6000/h, 75.000/d!? Qual a proposta de ciclo de funcionamento do semáforo que está a ser ponderada!?

Na minha opinião, tragédia pela certa. Ao invés, com o túnel além de se poder suprir todos estes sentidos, teríamos praça, zona verde, zonas de apoio aos modos suaves, ... tal como o exemplo da Big Dig de Boston que está no link que colocaste no facebook.


Meireles88 Escreveu:O túnel não te ia retirar pressão na rotunda, ia aumentar porque ias ter na mesma a malta que vai à rotunda a ir lá. Para além disso ainda ias ter mais gente que agora usa a Júlio Fragata a ter que vir às piscinas, por exemplo, a malta que desce do cemitério não vai conseguir entrar no túnel e vai ter que ir à rotunda e a malta que vai para o prédio verde e para o BragaParque igual (podias fazer a entrada direta, mas com as velocidades que lá se praticarão vai ser incomportável) e ainda vais ter a malta que quer ir à rotunda do BragaParque e/ou que vem da rotunda do BragaParque a ter que vir à rotunda das piscinas. Resolves? Como? Passa no túnel da avenida e vê se se resolveu alguma coisa. É que a malta não circula lá a 50 km/h nem nada que se pareça. Já viste a manutenção (falta dela) no da avenida?


No outro dia já tínhamos falado sobre isto, as bocas laterais explicam o porquê de o túnel retirar o transito da superfície...
As bocas laterais, de entrada e saída do túnel que ficam entre a rotunda das piscinas e o cruzamento servem para isso tudo que estas a dizer, sendo que a faixa de aceleração/desaceleração da boca de entrada continua e serve de faixa de acesso aos parque do BragaParque (tudo no subsolo).
Em relação à malta que desce do cemitério entra se quiser no túnel logo ali, tem sensivelmente o mesmo espaço que a malta que sai do viaduto e pretende subir para o cemitério.


Meireles88 Escreveu:Consegues isso tudo diminuindo o nº de carros que ali passem. Como? Com melhoria na qualidade dos TC's, Pedonal e Ciclável as pessoas que se deslocam na cidade passam a fazê-lo de outra forma e isso diminuirá drasticamente o nº de veículos motores a circularem ali.



Meireles88 Escreveu:O tráfego não se resolve com mais uma megalomania, a ser enterrado etc etc. Ali não temos nenhuma circunvalação nem nenhuma cril, nem crel nem nada que se pareça. Poderás compará-la a outras avenidas com semáforos etc etc, a variantes não.
Ah, e ias colocar pressão na D.Pedro V e na Rua Nova de Santa Cruz.


Ali temos bem mais do que a circunvalação e do que a crel ( TMD 25.000 no troço mais movimentado), temos a cril (Lisboa) ou a vci (Porto) de Braga.

Meireles88 Escreveu:Eu não concordo com a variante externa a passar junto ao Bom Jesus. Ali a acontecer ou é em túnel durante toda a sua travessia ou vai estragar o acesso aos escadórios. É diferente Carlos, não estás a enterrar no meio da Urbe onde não tens grande espaço à volta, estás a enterrar no meio do monte para não vedar o acesso ao património. A variante externa é uma coisa megalómana que não me parece necessária para a nossa cidade, desde que se redesenhe o tráfego e se crie um TC verdadeiramente cómodo e rápido.


A cidade cresceu assim, as vias regionais drenam para ali, a cidade tem uma densidade elevada e está ao redor da nossa circular (Estação-Continente), a Variante externa é um erro crasso, é uma CREL ou uma CREP sem portagens, que enquanto Braga tiver uma dimensão em torno dos 200.000h, não tem qualquer sentido. Quem a "projetou", já previu a desclassificação da via arterial atual (esquema apresentado na sessão do PDM), para uma distribuidora principal, mudando a via arterial para a Variante externa.
Eu pergunto, estudam para quê!?
Não conseguem perceber que o troço do Hospital Privado até ao Fojo não terá mais que 15.000 veículos por dia, não vai desviar coisa nenhuma (desvia pouco), a cidade está lá em baixo e os movimentos pendulares também. Já o troço da Variante do Cávado é mais importante, e menos megalomano.

Meireles88 Escreveu:Quanto a um semáforo ali não sei o tempo, mas será o mesmo que na João XXI. Provavelmente há formas de calcular isso. Mais uma vez, tens menos carros ali do que na João XXI. Esses teus números estão errados. Na VCI passam 130 000 carros/dia. Tás a dizer que ali passam metade do tráfego da VCI, que não passa, nem de perto nem de longe. E estás a dizer que tem o mesmo tráfego que a Via Norte.. não me parece. Esses números são do Quadrilátero?(lol)


Os números são da EP, e estão no estudo do quadrilatero. Se os técnicos dos TUB não têm sequer essa noção...
A Av. Julio Fragata tem um TMD que é cerca de metade dos troços mais movimentados da VCI, e a A3 só é mais movimentada depois do nó com a A4, é disto que estamos a falar. No distrito as circulares mais movimentadas de Guimarães e Barcelos não chegam aos 35.000.
O Porto tem um metro ligeiro, tem uns TCs muito mais desenvolvidos, tem várias AEs paralelas e externas à VCI, tem a Circunvalação e ninguém pensa em colocar cruzamentos e transformar a VCI numa alameda citadina por estar muito próxima do centro e para promover o uso dos TCs...

São milhares as cidades com vias arteriais como a nossa a 1 quilometro do centro (em cidades de dimensões muito superiores), têm é que estar enterradas com a cidade na superfície. Portland, Boston só para citar alguns exemplos do link que partilhaste...
Braga tem é que faseadamente libertar a superfície para a cidade.
Neste momento deve fazer isso no troço em questão, criando um novo eixo citadino de excelência para os TCs, modos suaves e peões, em vez de uma ligação remendo deficitária que nem serve o eixo citadino nem a via arterial. Depois seguem-se os restantes pontos críticos (Estação-Continente). Braga tem que se manter densa e eficaz, não tem que projetar variantes externas absurdas que não precisa e que incluem obras de arte totalmente desnecessárias, para justificar a "destruição" da única via arterial que possui.

Quero isto para Braga.
Imagem

Meireles88 Escreveu:A zona pedonal é um bocado estranha Carlos. Já vi gente a reclamar com um ciclista que ia ali a passar a 10 e tinha acabado de passar um carro para aí a 15/20 e quem quiser que se desvie e ninguém dizia nada. E tens carros e camiões parados e a malta circula sem reclamar (o que não devia acontecer). Ora se a malta não se importa com isto porque se importará com um minibus? Tens um movimento muito mas muito maior na Rua do Souto e passam lá carros todos os dias.
Está-se a falar de uma rua da zona pedonal partilhada com TC's (não esquecer que existe já um regulamento municipal para a circulação de veículos automóveis nesta zona da cidade), mas podia-se ter perfeitamente uma zona de coexistência, as zonas 20 (apesar de eu achar que não é isso que se pretende ali). Continua a ser necessária a requalificação daquela área pedonal, porquê que deixaria de ser necessária?


Numa zona pedonal com esplanadas, parques infantis, atrações turísticas, ... parece-me que o impacto será grande. Com tempo e algum investimento criar ali um arruamento via vila parece-me que seria bem melhor. Uma cidade que tem 3M€ para expropriar Confiança, Convertidas... não tem uns euros para expropriar parte de um interstício que nem deve ter possibilidade de construção. Com um plano decente até podiam criar ali um novo arruamento com benefício para todos, privados e município.

Meireles88 Escreveu:"Competitividade do acesso rodoviário" Carlos Braga é a nº1 na sinistralidade automóvel, não é por ser competitiva, é por ter auto-estradas nas zonas citadinas. É por permitir que as pessoas cruzem a cidade a +70km/h. Ninguém anda entre a UM e o Santos da Cunha ou entre as bombas da repsol e as infias a 50 km/h quando o limite é esse! Agora o problema é dos condutores que não cumprem ou é do tipo de construção das vias que convidam a essas velocidades? Eu diria que o problema é da estrutura que leva a que os condutores não cumpram a lei. Portanto é preciso deixar de ser "competitivo" na sinistralidade e reduzir o volume de tráfego com um aumento da qualidade do tc, nos passeios e nas vias cicláveis. Ou queremos isso verdadeiramente ou então não queremos e continuamos na mesma.


Estamos muito mal, mas não somos os "campeões", entre 2007 e 2012 morreram em Braga 40 pessoas, 48 em Barcelos, 63 em Famalicão e 78 em Guimarães.
Se o tráfego estiver enterrado, mesmo que queiram não conseguem atropelar ninguém, certamente que no troço daquele túnel, as pessoas estariam seguras na superfície. E também não conseguem choques frontais.

Deixo os exemplos de sucesso que também partilhaste, estes e e estes, que são precisamente o que defendo, eliminar viadutos e retirar as via arteriais/auto-estradas da superfície dos centros das cidades, em quase todas como a Big Dig (Boston), Woodall Rodgers Freeway (Dallas) a superfície foi ocupada por praça e vias citadinas, enquanto a via arterial fica no subsolo.
Pelo mundo fora tens exemplos bem mais complexos que este aumento do túnel com entradas subterrâneas para os parques do BragaParque.
Antes: http://i.kinja-img.com/gawker-media/image/upload/s--Jw57sXUC--/c_fit,w_636/cnohcv6jqnnfyfjny5af.jpg
Depois: http://i.kinja-img.com/gawker-media/image/upload/s--BucjYTdu--/c_fit,w_636/uydng60lfzyllx89dj6w.jpg

A Big Dig de Boston, em Braga seria como fazer isto desde as piscinas até à Estação ferroviária, o que para já não é necessário.
Depois tens Portland onde removeram uma AE para dar acesso ao rio, mas basta recorreres ao google e vês que têm uma via arterial enterrada a apenas 1km do rio, a passar em pleno centro e do outro lado uma mega AE em viadutos.
Em Seoul paralelo ao riacho que foi recolocado na superfície, tens megas vias arteriais paralelas a apenas 100m e várias a cruzarem o riacho.

Em Braga querem retirar a única via arterial que existe... a que liga tudo na cidade e nos liga a tudo na região.
Estamos inseridos num Arco Metropolitano do Norte Litoral onde a esmagadora maioria se desloca de automóvel, não temos TCs supramunicipais, não temos ligações ferroviárias, apesar de termos 140.000h e atrairmos apenas 28.000 movimentos pendulares, somos uma cidade prestadora de serviços para toda a região, por isso devemos promover os TCs e os modos suaves no núcleo citadino, mas não podemos fechar a cidade à região e destruir a sua competitividade, porque quem vem a Braga suprir necessidades passa a suprir noutras cidades que se mantêm abertas.
Imagem
karlussantus
Administrador
 
Mensagens: 3633
Registado: quarta fev 20, 2008 6:41 am
Localização: Braga

Re: Eléctrico

Mensagempor karlussantus » sexta mar 28, 2014 3:13 am

Duarte Escreveu:A TUB bem pode querer pôr autocarros a passar na Rua dos Capelistas mas cheira-me que a câmara nunca irá permitir devido ao desagrado dos comerciantes e dos peões e esta seria uma medida anti-eleitoralista. Além disso há la uma esplanada, mobiliário urbano e ao nivel de movimento de peões acho que é tão frequentada como a rua do Souto, iria estragar toda a dinâmica que a rua tem. Também me pergunto como seria feito o resto do percurso se a Av. Central tem (e muito bem) sentido único.Quando se fala de devolver as cidade aos peões querem pôr la veículos de grandes dimensões a passar de 5 em 5 minutos só para a linha ter menos 2/3 minutos de atravessamento? O percurso na zona pedonal não se pode fazer bem a pé ou de bicicleta (bikesharing junta às principais paragens)? Não percebo estas contradições, na ânsia de querer tudo e mudar tudo radicalmente e rapidamente não irá dar bom resultado...
Por ultimo em relação a este tema, a ligação UM - Centro - Estação (passando nas proximidades da C. Camionagem) já existe, é a 24. Basta fundir a 24 com a 33 (que é o que acontece ao fim de semana com a 66, ou seja, é eliminar as outras duas e pôr esta a funcionar também ao durante a semana) e já se consegue aumentar a frequência para 15 min, em vez dos actuais 25 min da 24 e 40min da 33. Eliminando a barreira da Júlio Fragata a linha fica ainda mais apelativa e eficaz.

Essa proposta do anel da mobilidade é outro contra-senso, então se o objectivo é fazer linhas rectas, esse anel proposto dá umas voltinhas jeitosas, é que nem há estrada que ligue o ELeclerc ao super movimentado apeadeiro de Ferreiros (onde já la passam muitas linhas que lhe garantem um frequência de 15 min no minimo), sem ser a dar meia volta e voltar para trás.


Concordo, depressa, barato e bem... não há quem! Devolver a cidade aos peões mas o Campo da Vinha, Rua dos Capelistas e Largo de S. Francisco podem voltar a ter circulação... Fazer cidade repondo o eixo Centro-UM, para peões, tc e modos suaves, mas ficará a colidir com a única via Arterial...
Em relação ao percurso, penso que na proposta este seria o sentido UM-Av.Central-Capelistas-Campo da Vinha-Estação.


Duarte Escreveu:Em relação ao túnel a minha opinião mantêm-se, é enterrar todo o trânsito que ali passa apenas por atravessamento, colocar radares de velocidade fixos e criar um cruzamento semaforizado para permitir uma eficaz ligação entre as duas ruas e descongestionar as rotundas (o tráfego já não precisam de la ir para dar a volta...), mais espaço livre à superfície para jardim, peões e ciclistas. Além disso, todo o congestionamento que iria haver sem o túnel rapidamente a população revoltava-se e a câmara não querendo perder as eleições voltava a pôr tudo igual.

Voltando à TUB a minha solução é esta:
viewtopic.php?p=59570#p59570


Exatamente... além disso ainda se "enterra" a esmagadora maioria dos visitantes do shopping.
Imagem
karlussantus
Administrador
 
Mensagens: 3633
Registado: quarta fev 20, 2008 6:41 am
Localização: Braga

Re: Eléctrico

Mensagempor Meireles88 » sexta mar 28, 2014 10:50 am

Dados da EP, ligação para isso? É que o estudo do quadrilátero ainda só vi a Síntese Diagnóstico que mostra que nenhuma via está mais de 60% saturada...Mas podemos ir para lá contar os carros se quiseres Carlos e logo vês que os números são outros e que passam mais na João XXI do que ali.
Estás a pensar mal, estás a pensar num cruzamento franco, pensa em pessoas a pé + pessoas de bicicleta + pessoas de autocarro na re-ligação e depois já vês outro cruzamento.
Ah, e não precisas de semáforos para atravessas a Rua Nova de Santa Cruz (setas amarelas), já lá tens passadeiras sem semáforos.

Não tens espaço para bocas laterais e vias superficiais com o túnel a desbocar antes do viaduto e com entradas da malta que desce do cemitério (ias ter que inclinação, 20%? lol) e com entradas diretas para o Shopping a serem atravessadas por subidas para a via superior e entradas para o túnel. Não tens 50m de largura como no exemplo que deste onde foi construída uma ponte e tens entrada para um shopping onde tudo à volta é do shopping e não tens área residencial e viadutos desnivelados e igrejas como aqui tens. E tens para aí metade da largura (se tiveres).
Tu para desbocares um túnel precisas de 150m de trincheira, se fizeres isso perdes logo capacidade de entrada para a via rápida de 50km/h e de saída do túnel para o BP, vais ter que ter por a trincheira a sair diretamente para o viaduto (isto se queres ter entradas e saídas diretas do Shopping).

Aliás, se tivessemos uns bons milhões de euros se calhar conseguias. Expropriavas uns prédios e tal e enterravas a variante toda. Ora não há dinheiro para fazer um túnel ali (nem fundos para), portanto...Ah e o problema não é só o dinheiro para o fazer, é também o dinheiro para o manter.
Ias continuar a ter trânsito à superfície e não fugia muito ao que tens agora, porque muita gente que vem de Norte quer ir para Este ou Oeste.

Ainda não vi nem li nada sobre retirar a via arterial. Li sim que se pretende por os carros a passar ali à velocidade legal (inferior a 50km/h, porque o limite é 50 mas n quer dizer que toda a gente tenha que circular ali a 50) e restabelecer a ligação entre a D.Pedro V e a Rua Nova de Santa Cruz (que no fundo é ligar a Rua Nova de Santa Cruz, porque de ambos os lados da Júlio Fragata é Nova de Santa Cruz).

Partilhei um exemplo em Seattle onde os gajos deitaram abaixo um viaduto duplo!!! Mas lá está, há dinheiro a rodos, nós nos próximos 10 anos não vamos conseguir ter dinheiro para criar mais vias rodoviárias e enterrá-las. Temos é que as redesenhar de modo a torná-las mais amigas das pessoas (quer andem a pé, de bicicleta ou de autocarro) e ao redesenhá-las torna-las-emos mais amigas também dos automobilistas que vão circular a velocidades legais (coisa que não acontece nem na rodovia nem na Júlio Fragata).

Lá está o que partilhei é um sonho. O que partilhei é o que deveria ter sido feito inicialmente.

Numa zona pedonal com esplanadas, parques infantis, atrações turísticas, ... parece-me que o impacto será grande. Com tempo e algum investimento criar ali um arruamento via vila parece-me que seria bem melhor. Uma cidade que tem 3M€ para expropriar Confiança, Convertidas... não tem uns euros para expropriar parte de um interstício que nem deve ter possibilidade de construção. Com um plano decente até podiam criar ali um novo arruamento com benefício para todos, privados e município.


Então não vás a Viana onde tens um autocarro a passar lá pelo centro. Mas estamos a partir do princípio que vai ser um autocarro pesado a passar lá, mas pode não ser, pode ser um minibus ou mesmo um elétrico

[modo sonhador On]

Era reativar a linha, mas mais centrada:

Imagem

[modo sonhador OFF]

Sinistralidade, Anuário 2012 ANSR

Ao longo deste período também não se observou, ao nível dos diferentes distritos, uma evolução consistente da relação “Mortos a 30 dias”/“Mortos no local do acidente”. De qualquer forma, Braga, o distrito que apresenta a média mais elevada


Braga é o 3º distrito com mais sinistralidade rodoviária(lisboa 1º e porto 2º). Estes números são negros e muito devido à aposta para o automóvel. Não fales só de mortes Carlos, feridos graves e feridos ligeiros também entram nas contas!

Ninguém tem ideia de fechar a cidade, pretende-se é torná-la mais atrativa, isso sim! Tu sais de casa a pé e assustas-te neste momento, eu pelo menos não quero isso para a cidade! Epá tens uma cidade onde as crianças já não podem brincar na rua e as pessoas não podem passear em segurança e isto é grave!
http://www.mariomeireles.net

www.aasdsv.com -> Associação dos Amigos de São Domingos/São Vítor
Avatar do Utilizador
Meireles88
Administrador
 
Mensagens: 3099
Registado: quarta set 10, 2008 12:10 am

Re: Eléctrico

Mensagempor karlussantus » sábado mar 29, 2014 4:01 am

Meireles88 Escreveu:Dados da EP, ligação para isso? É que o estudo do quadrilátero ainda só vi a Síntese Diagnóstico que mostra que nenhuma via está mais de 60% saturada...Mas podemos ir para lá contar os carros se quiseres Carlos e logo vês que os números são outros e que passam mais na João XXI do que ali.


Não está disponível online, só com ofício da CMB é que disponibilizam. Vê o estudo do quadrilatero integral, lá tens os valores.
Podemos contar! :) Como venho da zona do Bom Jesus e trabalho na Av.Liberdade e em Vila Verde, faço precisamente os dois percursos, a diferença para mim é evidente.

Meireles88 Escreveu:Estás a pensar mal, estás a pensar num cruzamento franco, pensa em pessoas a pé + pessoas de bicicleta + pessoas de autocarro na re-ligação e depois já vês outro cruzamento.
Ah, e não precisas de semáforos para atravessas a Rua Nova de Santa Cruz (setas amarelas), já lá tens passadeiras sem semáforos.


Libertando a superfície temos caminho livre para pensar o cruzamento de várias formas.

Meireles88 Escreveu:Não tens espaço para bocas laterais e vias superficiais com o túnel a desbocar antes do viaduto e com entradas da malta que desce do cemitério (ias ter que inclinação, 20%? lol) e com entradas diretas para o Shopping a serem atravessadas por subidas para a via superior e entradas para o túnel. Não tens 50m de largura como no exemplo que deste onde foi construída uma ponte e tens entrada para um shopping onde tudo à volta é do shopping e não tens área residencial e viadutos desnivelados e igrejas como aqui tens. E tens para aí metade da largura (se tiveres).
Tu para desbocares um túnel precisas de 150m de trincheira, se fizeres isso perdes logo capacidade de entrada para a via rápida de 50km/h e de saída do túnel para o BP, vais ter que ter por a trincheira a sair diretamente para o viaduto (isto se queres ter entradas e saídas diretas do Shopping).

Aliás, se tivessemos uns bons milhões de euros se calhar conseguias. Expropriavas uns prédios e tal e enterravas a variante toda. Ora não há dinheiro para fazer um túnel ali (nem fundos para), portanto...Ah e o problema não é só o dinheiro para o fazer, é também o dinheiro para o manter.
Ias continuar a ter trânsito à superfície e não fugia muito ao que tens agora, porque muita gente que vem de Norte quer ir para Este ou Oeste.


As bocas laterais de cerca de 100 metros, ficam na zona mais larga entre a rotunda e o cruzamento, sobra espaço para mais 4 vias em cada sentido uma vez que serão mais estreitas, mas como é óbvio o espaço será usado para zonas verdes, pedonais e se necessário ciclovias e outras estruturas de apoio aos modos suaves.
Estas bocas criam ligação ao túnel no subsolo através de uma 3 via de aceleração/desaceleração, por isso as chamo de laterais. Depois a boca da circular em frente ao BragaParque terá na mesma apenas 2 faixas em cada sentido.

Meireles88 Escreveu:Ainda não vi nem li nada sobre retirar a via arterial. Li sim que se pretende por os carros a passar ali à velocidade legal (inferior a 50km/h, porque o limite é 50 mas n quer dizer que toda a gente tenha que circular ali a 50) e restabelecer a ligação entre a D.Pedro V e a Rua Nova de Santa Cruz (que no fundo é ligar a Rua Nova de Santa Cruz, porque de ambos os lados da Júlio Fragata é Nova de Santa Cruz).

Partilhei um exemplo em Seattle onde os gajos deitaram abaixo um viaduto duplo!!! Mas lá está, há dinheiro a rodos, nós nos próximos 10 anos não vamos conseguir ter dinheiro para criar mais vias rodoviárias e enterrá-las. Temos é que as redesenhar de modo a torná-las mais amigas das pessoas (quer andem a pé, de bicicleta ou de autocarro) e ao redesenhá-las torna-las-emos mais amigas também dos automobilistas que vão circular a velocidades legais (coisa que não acontece nem na rodovia nem na Júlio Fragata).

Lá está o que partilhei é um sonho. O que partilhei é o que deveria ter sido feito inicialmente.


Na apresentação do PDM forneceram a imagem da futura proposta de rede viária, eles entendem que o troço desde o Hospital Privado até ao Fojo que depois se ligará à Variante do Hospital que sai do Fojo e iria até à Antonio Macedo (via Sete Fontes), será a nova via arterial em substituição do troço da atual circular desde o Hospital Privado até ao Nó com o Hospital.
Ora na minha opinião quem pensa assim, percebe zero da mobilidade de Braga.

Meireles88 Escreveu:Então não vás a Viana onde tens um autocarro a passar lá pelo centro. Mas estamos a partir do princípio que vai ser um autocarro pesado a passar lá, mas pode não ser, pode ser um minibus ou mesmo um elétrico

[modo sonhador On]

Era reativar a linha, mas mais centrada:

http://portal.bracarae.com/wp-content/gallery/museu_da_memoria/576773_537202519673240_1777801055_n.jpg

[modo sonhador OFF]


Mas não preferias que fosse possível via Vila!?


Meireles88 Escreveu:Sinistralidade, Anuário 2012 ANSR

Ao longo deste período também não se observou, ao nível dos diferentes distritos, uma evolução consistente da relação “Mortos a 30 dias”/“Mortos no local do acidente”. De qualquer forma, Braga, o distrito que apresenta a média mais elevada

Braga é o 3º distrito com mais sinistralidade rodoviária(lisboa 1º e porto 2º). Estes números são negros e muito devido à aposta para o automóvel. Não fales só de mortes Carlos, feridos graves e feridos ligeiros também entram nas contas!


Coloquei o mais grave, no link do INE que partilhei tens precisamente todos os valores. O problema dos restantes municípios do Distrito ainda é mais grave pois têm menos população, menos movimentos rodoviários, mas têm mais mortos. Como estavas a referir que o município de Braga mais concretamente a zona urbana por causa das AEs que a cruzam era campeão na sinistralidade, "perdemos" para os municípios que nos rodeiam. Mas é muito grave e por isso tem que ser corrigido.

Meireles88 Escreveu:Ninguém tem ideia de fechar a cidade, pretende-se é torná-la mais atrativa, isso sim! Tu sais de casa a pé e assustas-te neste momento, eu pelo menos não quero isso para a cidade! Epá tens uma cidade onde as crianças já não podem brincar na rua e as pessoas não podem passear em segurança e isto é grave!


Fechar a cidade à região, no sentido que não somos uma entidade metropolitana que vai definir uma estratégia comum para os municípios envolventes, que pode restringir o fluxo automovel e "obrigar" as pessoas a usarem os TCs. Estamos num arco policentrico, onde as pessoas dos municípios envolventes não têm TCs de ligação a Braga nem têm TCs nas localidades de onde vêm, passariam a optar pelos serviços de outras localidades que afincadamente competem com Braga.

No longo prazo, eu quero sair de casa e poder circular de metro ligeiro desde a estação até ao continente, ladeado por uma via citadina com ciclovia, corredores pedonais e zonas verdes, que atravessa todo este território da cidade. Quero poder subir ao Bom Jesus e não ver 3 nós cravos na encosta com 7km de túneis, com um nó nas proximidades do elevador do Bom Jesus.

No curto prazo quero ter um anel de mobilidade Estação-Centro-UM, quero ter um corredor pedonal e ciclável (efetivo) entre a Estação-Centro-UM. Será o primeiro passo de um novo paradigma. E o quadro 2014-2020 tem dotação para isto.
Imagem
karlussantus
Administrador
 
Mensagens: 3633
Registado: quarta fev 20, 2008 6:41 am
Localização: Braga

Re: Eléctrico

Mensagempor Meireles88 » sábado mar 29, 2014 11:03 pm

karlussantus Escreveu:
Meireles88 Escreveu:Dados da EP, ligação para isso? É que o estudo do quadrilátero ainda só vi a Síntese Diagnóstico que mostra que nenhuma via está mais de 60% saturada...Mas podemos ir para lá contar os carros se quiseres Carlos e logo vês que os números são outros e que passam mais na João XXI do que ali.


Não está disponível online, só com ofício da CMB é que disponibilizam. Vê o estudo do quadrilatero integral, lá tens os valores.
Podemos contar! :) Como venho da zona do Bom Jesus e trabalho na Av.Liberdade e em Vila Verde, faço precisamente os dois percursos, a diferença para mim é evidente.

Já deu para perceber, pelos dados do INIR e pelo estudo que esses dados estão errados.

Para contar temos que ficar lá parados, a perceção é outra entre quem passa de carro e quem passa a pé. Eu passo ali praticamente todos os dias e muitas das vezes à hora de ponta, quer a pé, quer de bicicleta e quer de carro e noto que o trânsito não é tanto quanto se pinta.

karlussantus Escreveu:
Meireles88 Escreveu:Estás a pensar mal, estás a pensar num cruzamento franco, pensa em pessoas a pé + pessoas de bicicleta + pessoas de autocarro na re-ligação e depois já vês outro cruzamento.
Ah, e não precisas de semáforos para atravessas a Rua Nova de Santa Cruz (setas amarelas), já lá tens passadeiras sem semáforos.


Libertando a superfície temos caminho livre para pensar o cruzamento de várias formas.


Colocas ainda mais pressão de trânsito na rotunda das Piscinas!

karlussantus Escreveu:
Meireles88 Escreveu:Não tens espaço para bocas laterais e vias superficiais com o túnel a desbocar antes do viaduto e com entradas da malta que desce do cemitério (ias ter que inclinação, 20%? lol) e com entradas diretas para o Shopping a serem atravessadas por subidas para a via superior e entradas para o túnel. Não tens 50m de largura como no exemplo que deste onde foi construída uma ponte e tens entrada para um shopping onde tudo à volta é do shopping e não tens área residencial e viadutos desnivelados e igrejas como aqui tens. E tens para aí metade da largura (se tiveres).
Tu para desbocares um túnel precisas de 150m de trincheira, se fizeres isso perdes logo capacidade de entrada para a via rápida de 50km/h e de saída do túnel para o BP, vais ter que ter por a trincheira a sair diretamente para o viaduto (isto se queres ter entradas e saídas diretas do Shopping).

Aliás, se tivessemos uns bons milhões de euros se calhar conseguias. Expropriavas uns prédios e tal e enterravas a variante toda. Ora não há dinheiro para fazer um túnel ali (nem fundos para), portanto...Ah e o problema não é só o dinheiro para o fazer, é também o dinheiro para o manter.
Ias continuar a ter trânsito à superfície e não fugia muito ao que tens agora, porque muita gente que vem de Norte quer ir para Este ou Oeste.


As bocas laterais de cerca de 100 metros, ficam na zona mais larga entre a rotunda e o cruzamento, sobra espaço para mais 4 vias em cada sentido uma vez que serão mais estreitas, mas como é óbvio o espaço será usado para zonas verdes, pedonais e se necessário ciclovias e outras estruturas de apoio aos modos suaves.
Estas bocas criam ligação ao túnel no subsolo através de uma 3 via de aceleração/desaceleração, por isso as chamo de laterais. Depois a boca da circular em frente ao BragaParque terá na mesma apenas 2 faixas em cada sentido.


100metros? Ias ter que inclinação? É que a trincheira teria que ser afundada para ser possível cobri-la, e não era pouco, logo a diferença de quotas seria maior, logo precisas de mais metros para subir e descer, logo o tunel ia ter que sair mais à frente. E com as bocas de saída ias continuar a pressionar a rotunda das piscinas. 8 vias? Portanto ias continuar a ter a cidade do automóvel ali! Pois.

Em frente ao BP não, ias acabar por ter que ter a boca do tunel a sair no viaduto praticamente. Se queres fazer túnel e não trincheira com estrutura suficiente para depois levar com peso em cima e até árvores ia ter que ficar tão fundo que para sair não bastavam 100m.

karlussantus Escreveu:
Meireles88 Escreveu:Ainda não vi nem li nada sobre retirar a via arterial. Li sim que se pretende por os carros a passar ali à velocidade legal (inferior a 50km/h, porque o limite é 50 mas n quer dizer que toda a gente tenha que circular ali a 50) e restabelecer a ligação entre a D.Pedro V e a Rua Nova de Santa Cruz (que no fundo é ligar a Rua Nova de Santa Cruz, porque de ambos os lados da Júlio Fragata é Nova de Santa Cruz).

Partilhei um exemplo em Seattle onde os gajos deitaram abaixo um viaduto duplo!!! Mas lá está, há dinheiro a rodos, nós nos próximos 10 anos não vamos conseguir ter dinheiro para criar mais vias rodoviárias e enterrá-las. Temos é que as redesenhar de modo a torná-las mais amigas das pessoas (quer andem a pé, de bicicleta ou de autocarro) e ao redesenhá-las torna-las-emos mais amigas também dos automobilistas que vão circular a velocidades legais (coisa que não acontece nem na rodovia nem na Júlio Fragata).

Lá está o que partilhei é um sonho. O que partilhei é o que deveria ter sido feito inicialmente.


Na apresentação do PDM forneceram a imagem da futura proposta de rede viária, eles entendem que o troço desde o Hospital Privado até ao Fojo que depois se ligará à Variante do Hospital que sai do Fojo e iria até à Antonio Macedo (via Sete Fontes), será a nova via arterial em substituição do troço da atual circular desde o Hospital Privado até ao Nó com o Hospital.
Ora na minha opinião quem pensa assim, percebe zero da mobilidade de Braga.


O que eu percebi é que depois da Variante Exterior ser feita a Júlio Fragata passará a Alameda. Ora se passará a Alameda então não vale a pena estar a enterrar ali dinheiro num túnel!

karlussantus Escreveu:
Meireles88 Escreveu:Então não vás a Viana onde tens um autocarro a passar lá pelo centro. Mas estamos a partir do princípio que vai ser um autocarro pesado a passar lá, mas pode não ser, pode ser um minibus ou mesmo um elétrico

[modo sonhador On]

Era reativar a linha, mas mais centrada:

http://portal.bracarae.com/wp-content/gallery/museu_da_memoria/576773_537202519673240_1777801055_n.jpg

[modo sonhador OFF]


Mas não preferias que fosse possível via Vila!?


E depois como resolvias no GNRation para teres dois sentidos? É que com a boca do túnel ali não tens espaço. Não precisas de ir muito longe para veres TC a passar em zonas pedonais:

Matosinhos:
Imagem

Viana:
Imagem

karlussantus Escreveu:
Meireles88 Escreveu:Sinistralidade, Anuário 2012 ANSR

Ao longo deste período também não se observou, ao nível dos diferentes distritos, uma evolução consistente da relação “Mortos a 30 dias”/“Mortos no local do acidente”. De qualquer forma, Braga, o distrito que apresenta a média mais elevada

Braga é o 3º distrito com mais sinistralidade rodoviária(lisboa 1º e porto 2º). Estes números são negros e muito devido à aposta para o automóvel. Não fales só de mortes Carlos, feridos graves e feridos ligeiros também entram nas contas!


Coloquei o mais grave, no link do INE que partilhei tens precisamente todos os valores. O problema dos restantes municípios do Distrito ainda é mais grave pois têm menos população, menos movimentos rodoviários, mas têm mais mortos. Como estavas a referir que o município de Braga mais concretamente a zona urbana por causa das AEs que a cruzam era campeão na sinistralidade, "perdemos" para os municípios que nos rodeiam. Mas é muito grave e por isso tem que ser corrigido.


Em valores absolutos Braga é o 3º que tem mais acidentes Carlos. Como é que pode ser mais grave? Há cidades europeias com mais população que a nossa e com menos acidentes!

karlussantus Escreveu:
Meireles88 Escreveu:Ninguém tem ideia de fechar a cidade, pretende-se é torná-la mais atrativa, isso sim! Tu sais de casa a pé e assustas-te neste momento, eu pelo menos não quero isso para a cidade! Epá tens uma cidade onde as crianças já não podem brincar na rua e as pessoas não podem passear em segurança e isto é grave!


Fechar a cidade à região, no sentido que não somos uma entidade metropolitana que vai definir uma estratégia comum para os municípios envolventes, que pode restringir o fluxo automovel e "obrigar" as pessoas a usarem os TCs. Estamos num arco policentrico, onde as pessoas dos municípios envolventes não têm TCs de ligação a Braga nem têm TCs nas localidades de onde vêm, passariam a optar pelos serviços de outras localidades que afincadamente competem com Braga.


Porquê que não somos? Tens dúvidas que se Braga melhorar os TCs e os modos pedonal e ciclável os outros municípios vêm atrás? É que eu não tenho, ainda por cima quando tens a UE a lançar guidelines para isso!

karlussantus Escreveu:
No longo prazo, eu quero sair de casa e poder circular de metro ligeiro desde a estação até ao continente, ladeado por uma via citadina com ciclovia, corredores pedonais e zonas verdes, que atravessa todo este território da cidade. Quero poder subir ao Bom Jesus e não ver 3 nós cravos na encosta com 7km de túneis, com um nó nas proximidades do elevador do Bom Jesus.

No curto prazo quero ter um anel de mobilidade Estação-Centro-UM, quero ter um corredor pedonal e ciclável (efetivo) entre a Estação-Centro-UM. Será o primeiro passo de um novo paradigma. E o quadro 2014-2020 tem dotação para isto.

[/quote]
É preciso começar então Carlos. Que se comece agora! 2014-2020 não é longo prazo.
http://www.mariomeireles.net

www.aasdsv.com -> Associação dos Amigos de São Domingos/São Vítor
Avatar do Utilizador
Meireles88
Administrador
 
Mensagens: 3099
Registado: quarta set 10, 2008 12:10 am

Re: Eléctrico

Mensagempor Miguel » terça jan 06, 2015 3:28 pm

Vi num site que a câmara de Braga pensa no regresso dos electricos para fins turisticos, isso é verdade?
Miguel
Arcebispo
 
Mensagens: 470
Registado: quarta jan 07, 2009 12:30 am
Localização: Lagoa, São Miguel Açores

Re: Eléctrico

Mensagempor Linguas » sexta jan 09, 2015 8:24 pm

Qual site? Mostra o link disso.
Avatar do Utilizador
Linguas
Moderador
 
Mensagens: 544
Registado: domingo mai 31, 2009 2:22 pm
Localização: S. Vicente

Re: Eléctrico

Mensagempor Meireles88 » quarta jan 14, 2015 11:32 am

Esqueçam o Elétrico em Braga, não é viável dada a necessidade de passageiros transportados por hora e por sentido para sustentar o investimento necessário para termos os elétricos.
http://www.mariomeireles.net

www.aasdsv.com -> Associação dos Amigos de São Domingos/São Vítor
Avatar do Utilizador
Meireles88
Administrador
 
Mensagens: 3099
Registado: quarta set 10, 2008 12:10 am

Re: Eléctrico

Mensagempor mister B » sexta jan 23, 2015 3:58 pm

E se fosse apenas uma via na superfície, entre estação e UM, devia dar uma frequência de 15 ou 20 min?
I love Braga
mister B
Arcebispo
 
Mensagens: 1474
Registado: sábado jul 05, 2008 9:27 pm

Re: Eléctrico

Mensagempor Bracarense » sábado jan 31, 2015 10:39 pm

mister B Escreveu:E se fosse apenas uma via na superfície, entre estação e UM, devia dar uma frequência de 15 ou 20 min?
tens o autocarro com a frequência de 15 min...
Bracarense
Bispo
 
Mensagens: 219
Registado: quarta mai 04, 2011 7:26 am

Re: Eléctrico

Mensagempor Brc20 » domingo fev 01, 2015 4:01 pm

O diretor da Tub já anunciou em entrevista o projeto de um "brt" em Braga. Esqueçam o elétrico.
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

AnteriorPróximo

Voltar para Transportes

Quem está ligado:

Utilizadores a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 2 visitantes

cron