Bracarae - O fórum de Braga! • Ver Tópico - Banca de Jornais - Capas e Notícias

Banca de Jornais - Capas e Notícias  

Espaço para a discussão sobre temas da nossa sociedade e política.

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor mister B » quarta jan 29, 2014 1:35 pm

Não sei onde é, na zona da avenida da liberdade? 31 janeiro?
I love Braga
mister B
Arcebispo
 
Mensagens: 1474
Registado: sábado jul 05, 2008 9:27 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor Brc20 » quarta jan 29, 2014 3:27 pm

Ricardo Rio passa o teste dos primeiros 100 dias de mandato com boa nota


SAMUEL SILVA 28/01/2014 - 07:42

Autarca prometeu 20 medidas para estes pouco de três meses. Quase todas estão em andamento, embora duas tenham gerado conflitos judiciais que podem atrasar a sua concretização.



Imagem
DATO DARASELIA
Ricardo Rio é o segundo presidente da câmara que os bracarenses elegeram, desde o 25 de Abril





Sobre a secretária do gabinete na Câmara de Braga, Ricardo Rio mantém um dos desdobráveis da campanha eleitoral. O documento está aberto na página onde constam as 20 medidas com as quais se comprometeu para os primeiros 100 dias de mandato. No topo da lista, escreveu a tinta preta: “28/01”. É esta terça-feira, em que se completa a data emblemática à frente da autarquia.

Foram 100 dias “vividos intensamente”, diz ao PÚBLICO, antes de fazer o ponto da situação das promessas feitas. Acrescenta outras conquistas dos últimos meses: o reforço da ligação entre Braga e a Galiza, Viana do Castelo ou os municípios do Quadrilátero Urbano – Barcelos, Famalicão e Guimarães – cujas polémicas do ano passado ajudou a resolver.

Mais de três meses volvidos sobre a tomada de posse, são três as medidas anunciadas cuja concretização está ainda atrasada. É o caso da intervenção no Mercado Municipal – só ontem foi aprovado o lançamento de um concurso de ideias – e da renovação do Parque de Exposições – projecto entregue há poucas semanas ao arquitecto Gonçalo Byrne, autor do desenho original do equipamento. E também o dossiê de investimento que deverá basear-se em parcerias com o AICEP, as associações empresariais e parceiros internacionais para atrair novas empresas para o concelho deu ainda passos pouco visíveis.

Nesta situação está também o fundo de investimento para centro histórico, que ainda não está constituído. “É de todas as medidas, aquela que está num estádio mais embrionário”, admite Ricardo Rio, estimando que apenas no final do semestre possa haver novidades sobre este tema.



Elogios dos bracarenses
Ainda assim, se este fosse um teste académico, o novo executivo municipal de Braga teriam boa nota. Seis das 20 medidas estão totalmente cumpridas e outras tantas estão praticamente resolvidas. Contas feitas, entre 70 a 75% das promessas originais foram concretizadas. A auditoria às contas municipais terá resultados no início de Março, assim como o processo de discussão prévia do novo Plano Director Municipal. A inscrição de 250 mil euros no orçamento camarário permitirá a oferta de manuais escolares aos alunos do primeiro ciclo no próximo ano lectivo, outra das apostas.

À avaliação contabilística, juntam-se os elogios dos bracarenses. O historiador de arte Eduardo Pires de Oliveira faz um balanço positivo do início do mandato, ainda que vá avisando que este é “o primeiro embate”. “É o mais emblemático, mas também é o mais fácil”, afirma. “O executivo tem cumprido algumas das promessas mais emblemáticas que fez”, concorda o médico Pedro Morgado.

“A grande alteração resulta da mudança de muitos dos protagonistas municipais. É a normalidade democrática que Braga não tinha ainda experimentado”, sublinha Luís Tarroso Gomes, advogado e líder da associação cultural Velha-a-Branca, lembrando que, desde o 25 de Abril, a cidade tinha apenas tido um presidente da Câmara. De resto, as mais mediáticas medidas do início do mandato – e também as mais elogiadas pelos bracarenses ouvidos pelo PÚBLICO – são revogações de decisões de Mesquita Machado (ver caixa).

Outro aspecto sublinhado é a atribuição do pelouro do Urbanismo a Miguel Bandeira, independente, professor de Geografia da Universidade do Minho. “É a decisão mais corajosa”, saúda Tarroso Gomes. O novo vereador “foi durante décadas o rosto da crítica dura mas fundamentada do crescimento totalmente desarticulado do concelho e da cidade”, valoriza.

Eduardo Pires de Oliveira, que partilhou a direcção da associação de defesa do Património ASPA com Bandeira, também elogia as primeiras medidas da autarquia em matéria de urbanismo “As tendências são muito positivas. As decisões sobre os direitos adquiridos para construções, quer na zona das Sete Fontes, quer em muitos dos loteamentos existentes”, defende.

O parque urbano das Sete Fontes é um dos exemplos de medidas que não estão ainda concluídas. Mas os progressos são notórios. O projecto está praticamente pronto e a autarquia já aprovou a suspensão do PDM para aquela área e abandonou a intenção de construção de uma variante nas imediações daquele monumento nacional.

Também o presidente da Associação Comercial de Braga, Macedo Barbosa, elogia “algumas medidas transversais de grande relevo”, sobretudo na área económica, destacando o facto de o presidente da câmara ter ficado com o pelouro das actividades económicas como um exemplo da importância do sector para a nova maioria. No novo mandato, “há uma colaboração institucional com os actores locais que não existiria anteriormente”, valoriza.



Revogações vão prolongar-se em tribunal
As medidas mais mediáticas das duas primeiras reuniões de câmara do novo mandato fazem parte da lista das 20 prioritárias, mas a sua resolução definitiva pode demorar. são revogações de decisões tomadas na fase final do anterior mandato por Mesquita Machado e que causaram grande polémica em Braga. De tal forma que as decisões do novo executivo estão a ser contestada em tribunal.

Primeiro foi a revogação do alargamento a mais 27 ruas da cidade do estacionamento pago por parquímetros que está concessionado a uma empresa privada. A concessionária interpôs, entretanto, uma providência cautelar para tentar suspender a medida. Depois, foi anulada a expropriação dos edifícios contíguos à Casa das Convertidas, na Avenida Central, que custaria 3 milhões de euros aos cofres municipais – num negócio que envolvia a filha e o genro do anterior autarca. Também neste caso, o assunto está a ser contestado em tribunal pela parte privada.

“São as melhores e as mais espectaculares das medidas já tomadas, embora ainda vá correr imensa água”, defende Eduardo Pires de Oliveira, sintetizando uma opinião que também é partilhada por Luís Tarroso Gomes e Pedro Morgado. Sobre o estacionamento, Macedo Barbosa diz que a decisão do novo executivo acabou com “um cerco” ao centro histórico que estava a afastar os consumidores.

As opiniões são, porém, divergentes quando a questão é a medida mais infeliz do executivo até ao momento. Pires de Oliveira aponta a nomeação do adjunto da vereadora da Cultura, Rui Ferreira, para a liderança a organização das festas de S. João. Morgado gostaria que a Câmara de Braga não tivesse aplicado a lei das 40 horas semanais aos seus funcionários pública. Já Tarroso Gomes escolhe a entrega de gabinetes no espaço GNRation, criado para a Capital Europeia da Juventude de 2012, aos vereadores da oposição e ao provedor do munícipe. “É contraditório. Ainda não percebi para que vai servir aquele equipamento”, afirma.




http://www.publico.pt/local/noticia/ric ... ta-1621312
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor pnfernandes » quinta jan 30, 2014 1:45 pm

pnfernandes
Arcebispo
 
Mensagens: 364
Registado: segunda abr 13, 2009 3:20 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor Brc20 » quinta jan 30, 2014 4:26 pm

Ricardo Rio mantém Pousada da Juventude e avalia piscina olímpica


BRAGA
2014-01-30
autor- José Paulo Silva



Uma nova Pousada da Juventude e a conclusão da piscina olímpica do Parque Norte foram compromissos assumidos ontem pelo presidente da Câmara Municipal de Braga, completado o ciclo de cem dias do novo mandato autárquico. Num encontro com jornalistas onde apresentou as prioridades para um novo ciclo de cem dias na governação municipal, Ricardo Rio reafirmou que a nova Pousada da Juventude será no antigo edifício da Escola Francisco Sanches, apesar de o secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, ter assumido, em entrevista ao ‘Correio do Minho’ e rádio ‘Antena Minho’ ( ver edição de ontem) que o Governo não financiará um novo equipamento desse tipo.

O edil bracarense referiu que a nova Pousada da Juventude pode ser financiada exclusivamente pela câmara ou em parceria com uma entidade privada. Para já, está a negociar com o Ministério da Educação a transferência do edifício escolar.

O início do processo de reconfiguração do projecto da piscina olímpica no Parque Norte é outro dos compromissos imediatos do executivo municipal, que aposta na conclusão de um equipamento desportivo onde já foram investidos oito milhões de euros. “A primeira prioridade será reconverter o conceito para o tornar económica e financeiramente sustentável”, adiantou Ricardo Rio, que vai contactar o arquitecto autor de um projecto que ficou inacabado no mandato autárquico anterior por incapacidade financeira da câmara. 'Nós queremos uma piscina olímpica em Braga. A primeira prioridade será reconverter o projecto”, disse o edil, para quem a ideia de um parque aquático idealizada no último mandato de Mesquita Machado “não tem viabilidade”.

A Câmara Municipal de Braga garantiu, por outro lado, financiamento para obras de requalificação e restauro do Parque Eco-Monumental das Sete Fontes, as quais se iniciarão após a conclusão dos estudos hidrogeológicos e arqueológicos no local. O presidente da câmara revelou que dentro de dias será apresentado o plano de pormenor e salvaguarda daquele monumento nacional. Para os próximos cem dias, o executivo municipal assumiu como outras prioridades a apresentação da Carta Desportiva do concelho, a finalização do projecto de reabilitação do Parque de Exposições de Braga, a divulgação dos resultados do concurso de ideias para o Mercado Municipal e a instalação de uma rede de acesso livre à internet no centro histórico da
cidade.

Para final de Março está prevista a apresentação dos resultados da auditoria financeira à câmara e empresas municipais, cujos dados poderão implicar a apresentação de um orçamento rectificativo para o corrente ano. Nos próximos três meses arrancarão o balcão único do município e o balcão do empreendedor, e será dado início a um Plano de Marcha e Corrida, bem como um Programa de Apoio à Saúde Oral. Para o novo ciclo de cem dias, está ainda programada a celebração dos contratos de execução de delegação de competências nas juntas de freguesias e arrancará, formalmente, a candidatura das Solenidades da Semana Santa a Património Imaterial da Humanidade, bem como o processo de certificação da viola braguesa e do cavaquinho.

http://www.correiodominho.com/noticias.php?id=75798



Prioridades para o novo ciclo de 100 dias:


1- Nova pousada da juventude;
2- conclusão da piscina olímpica;
3- financiamento para obras de requalificação e restauro do Parque Eco-Monumental das Sete Fontes;
4- apresentação da Carta Desportiva do concelho;
5- finalização do projecto de reabilitação do Parque de Exposições de Braga;
6- a divulgação dos resultados do concurso de ideias para o Mercado Municipal;
7- a instalação de uma rede de acesso livre à internet no centro histórico da
cidade.
8- apresentação dos resultados da auditoria financeira à câmara e empresas municipais;
9- início do balcão único do município e o balcão do empreendedor;
10- início a um Plano de Marcha e Corrida;
11- início de um Programa de Apoio à Saúde Oral;
12-celebração dos contratos de execução de delegação de competências nas juntas de freguesias;
13- início da candidatura das Solenidades da Semana Santa a Património Imaterial da Humanidade, bem como o processo de certificação da viola braguesa e do cavaquinho.


Na minha opinião são uma série de medidas exequíveis na maior parte, agora não vejo bem a prioridade ou urgência de uma nova pousada da juventude. Daqui a 100 dias veremos o que aconteceu a este plano.
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor Brc20 » quinta jan 30, 2014 4:35 pm

Cientista da UMinho recebe premio mundial de Literatura Científica


Imagem
BRAGA, ENSINO
2014-01-30
autor- Redacção




O cientista e investigador da Universidade do Minho (UMinho) Rui L. Reis foi distinguido recentemente, pela Sociedade Americana de Biomateriais (SFB - Society for Biomaterials - USA) com o Prémio Clamson para as contribuições para a Literatura Científica.
O galardão vai ser entregue no próximo mês de Abril em Denver (Estados Unidos da América), durante o congresso anual da SFB e onde Rui L. Reis apresentará uma palestra plenária.
O prémio distingue as contribuições dadas pelo cientista português nas áreas dos biomateriais de origem natural e as diversas estratégias originais que publicou nos campos da engenharia de tecidos e medicina regenerativa.

O nomeador, o Professor da Universidade de Washington em Seattle, Buddy D. Ratner (um dos mais prestigiados cientistas de biomateriais a nível Mundial) declarou, a propósito da atribuição do prémio que “o Rui adora desafiar os caminhos institucionais convencionais e os trilhos que todos aceitam como sendo os melhores. Ao fazê-lo sabe bem os riscos que corre, mas segue sempre a sua visão. Ele acredita que os valores da competência, do trabalho árduo e dedicado, do talento e da visão estratégica, devem ser valorados de modo idêntico aos mais reconhecidos e estabelecidos caminhos para o sucesso”.

O prémio existe há cerca de 40 anos e por poucas vezes foi atribuído a alguém que não seja da América do Norte ou não tenha trabalhado nessa região do globo. Mesmo nos poucos casos em que o prémio foi atribuído a europeus (ingleses, franceses ou holandeses) ou asiáticos (coreanos e japoneses) estes tinham na grande maioria dos casos trabalhado por algum tempo nos EUA.
Pela primeira vez o prémio é atribuído a alguém que nem sequer foi professor visitante na América do Norte, tendo construído toda a sua carreira em Portugal.

Rui L. Reis referiu, a propósito da atribuição do prémio, que “é como se sabe muito difícil para cientistas portugueses serem reconhecidos como os melhores nos EUA, particularmente se nunca lá tiverem trabalhado. Mas as inúmeras publicações e a sua qualidade, as citações dos nossos trabalhos pelos nossos pares, a propriedade intelectual que geramos, as inovações que fomos introduzindo e pelas quais somos Mundialmente reconhecidos, e o centro de investigação de excelência que fomos capazes de construir aqui na UMinho falam por si. Os EUA são um Pais meritocrático! Os nossos pares e agências de financiamento internacionais reconhecem e nosso trabalho e a nossa excelência. Infelizmente aqui em Portugal as medalhas, os prémios, os projectos, os Programas Doutorais continuam, a ir para outros, que muitas vezes não fizeram mais em qualquer critério. Um dia o nosso trabalho será tão reconhecido a nível Nacional como é no Minho, na região Norte, e no resto do mundo!”



http://www.correiodominho.com/noticias.php?id=75788
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor apocalypto » sexta jan 31, 2014 12:32 am

Na capa do JN de hoje aparece a seguinte notícia:

"Cheio Cheio está cheio de lixo e de marginais".

É a estrutura que fica ao lado do Braga Parque, certo? Na minha opinião aquilo seria ideal para expandir o Braga Parque no futuro.
apocalypto
Arcebispo
 
Mensagens: 478
Registado: terça jun 17, 2008 11:25 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor Brc20 » segunda fev 03, 2014 4:26 pm

Centro Histórico de Braga com Internet grátis a partir de Abril


SAMUEL SILVA 01/02/2014 - 09:00



Rede instalada em 2009 pelo programa Braga Digital custou 12 milhões de euros mas nunca funcionou bem.

Nova rede wi-fi poderá ser utilizada por residentes e visitantes da cidade




Moradores, comerciantes e visitantes do centro histórico de Braga vão passar a ter acesso à um rede wi-fi (sem fios) Internet em todas as ruas e praças a partir do mês de Abril.

A rede wi-fi permitirá o acesso à Internet por computadores e dispositivos móveis de forma gratuita. O novo sistema vai substituir a actual rede do projecto Braga Digital, que nunca funcionou em pleno desde que foi instalada. Neste momento, falta apenas definir qual a empresa que vai fornecer o serviço.

Nos últimos meses, a autarquia esteve a estudar a melhor localização dos equipamentos que disponibilizarão o sinal de Internet no espaço público bracarense, de modo a garantir uma cobertura integral do centro histórico da cidade. O mapa de cobertura está definido e é agora objecto de discussão com as várias operadoras de telecomunicações, com as quais a câmara pretende negociar as melhores condições para o fornecimento e gestão do serviço.
O novo sistema wi-fi começa a funcionar no mês de Abril, garantiu ao PÚBLICO o presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio. “Precisávamos de substituir a rede do Braga Digital, por causa de todos os problemas que provocou ao longo dos anos”, justificou.

Este sistema foi instalado em 2009, no âmbito de um projecto que custou cerca de 12 milhões de euros e que beneficiou de financiamento comunitário. No entanto, nunca funcionou de forma capaz: a rede devia cobrir todo o centro histórico, mas não chegava à maioria das ruas da cidade.

Mesmo equipamentos municipais, como o edifício dos paços do concelho ou o centro GNRation, ficavam fora do alcance da rede.Até Abril entram também em funcionamento mais dois serviços da Câmara de Braga relacionados com as novas tecnologias.
O projecto Braga 3.0, planeado para reforçar o acesso dos cidadãos à autarquia, vai permitir a instalação de um Balcão Único de Atendimento no edifício municipal do Pópulo. Seis juntas de freguesia (Adaúfe, Figueiredo, Real/Dume/Semelhe, Sequeira, Sobreposta, Tadim) vão receber também novos espaços cidadão que permitirão o contacto descentralizado com os serviços municipais.



http://www.publico.pt/local/noticia/centro-historico-de-braga-com-internet-gratis-a-partir-de-abril-1621902
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor Brc20 » quarta fev 05, 2014 3:47 pm

Estacionamento pode voltar a ser pago em Braga na área do alargamento do ano passado


SAMUEL SILVA 05/02/2014 - 10:05


Contestação da autarquia a providência cautelar não foi aceite pelo tribunal e concessionária quer voltar a cobrar parquímetros.




Os condutores de Braga podem ter que voltar a pagar parquímetro a partir desta quarta-feira se aparcarem nas 27 ruas para onde, no ano passado, tinha sido alargada a concessão do estacionamento na cidade. O Tribunal Administrativo e Fiscal (TAF) de Braga não aceitou a resolução fundamentada em que a autarquia justificava os motivos para ter revogado a decisão do anterior executivo e a empresa concessionária prepara-se para continuar a cobrar o pagamento enquanto não há uma decisão definitiva da justiça.

Numa carta enviada à Câmara de Braga, a ESSE – Estacionamento subterrâneo e à superfície anuncia que irá reiniciar “de imediato” a cobrança do estacionamento e a sua fiscalização na área do alargamento da concessão decidida pelo anterior executivo, presidido pelo socialista Mesquita Machado. Em causa estão 27 ruas que cobrem praticamente todo o centro da cidade.

A revogação dessa decisão foi uma das primeiras medidas tomadas pelo novo executivo PSD-CDS, presidido por Ricardo Rio, mas a empresa concessionária interpôs uma providência cautelar visando a suspensão da decisão. Essa acção jurídica foi contestada pela câmara, mas a argumentação foi agora recusada pelo TAF.

A sentença é do dia 31 de Janeiro, mas só ao final do dia desta terça-feira foi comunicada à Câmara de Braga. No documento a que o PÚBLICO teve acesso, a juíza do TAF julga “improcedentes as razões em que se fundamenta a resolução” da autarquia, declarando a “ineficiência dos actos” praticados pelo município na sequência da revogação da decisão anterior.

O tribunal defende que o interesse público “não fica gravemente prejudicado pela espera da decisão cautelar”, ao contrário do que era defendido pelo município. Deste modo, a providência cautelar produz efeitos imediatos e a ESSE vai poder continuar a cobrar os parquímetros, enquanto a providência cautelar é analisada pelo TAF de Braga.

A Câmara de Braga vai contestar a decisão de não-aceitação da resolução fundamentada entregue no TAF. Em comunicado, o executivo liderado por Ricardo Rio também manifestou a sua surpresa pela decisão judicial, mantendo a convicção de que a providência cautelar “será improcedente e a sua decisão de revogação do alargamento necessária, legítima e legal”.

Esta decisão judicial também vai levar à suspensão da revisão do regulamento de estacionamento, que tinha sido acordado na semana passada com a ESSE. A empresa exige um milhão de euros de compensação devido à duplicação do número de avenças de estacionamento destinados a morados e comerciantes, que actualmente cobrem 800 dos 1200 lugares existentes, o que fez diminuir as receitas dos parquímetros. A Câmara tinha manifestado abertura para rever as regras, para não prejudicar o concessionário, mas diz que esta novidade “inviabiliza, no imediato, qualquer iniciativa de alteração aos critérios, procedimentos ou valores ao regime de avenças em vigor”, pelo menos até que a providência cautelar seja apreciada.



http://www.publico.pt/local/noticia/est ... do-1622436





Providência Resolução da Câmara de Braga sobre parcómetros julgada improcedente


O Tribunal Administrativo de Braga julgou improcedente a resolução fundamentada da autarquia bracarense para suspender a providência cautelar da concessionária de parcómetros sobre estacionamento pago à superfície, informa um comunicado enviado hoje pelo município à agência Lusa.

PAÍS Resolução da Câmara de Braga sobre parcómetros julgada improcedente Lusa
22:05 - 04 de Fevereiro de 2014 | Por Lusa



A autarquia de Braga explica que, uma vez recusados os seus argumentos, os efeitos da providência cautelar vão-se fazer sentir no imediato, ou seja, fica suspensa a revogação do alargamento do estacionamento pago.


Assim, a empresa concessionária, a ESSE - Estacionamento à Superfície e Subterrâneo S.A, informou a Câmara Municipal de Braga que vai "reiniciar de imediato a exploração, gestão e manutenção do estacionamento de duração limitada" nas artérias nas quais, na primeira reunião camarária deste mandato, o executivo suspendeu os parcómetros.

"Recorde-se que, na ausência de tal resolução fundamentada ou, como sucede no caso vertente, por força da sua não-aceitação por parte da magistrada, a referida providência cautelar produz efeitos imediatos enquanto não for judicialmente apreciada, o que ainda não sucedeu", lê-se.

Em 2012, ainda sob égide do socialista Mesquita Machado, a autarquia aprovou o alargamento da área de estacionamento pago a mais 27 artérias do centro da cidade.

Após as autárquicas de setembro, com a eleição de Ricardo Rio, o executivo revogou aquele alargamento na primeira reunião camarária, deliberação contra a qual a ESSE apresentou uma providência cautelar, cujos efeitos de suspensão da medida seriam imediatos, a menos que a autarquia apresentasse uma resolução fundamentada para o impedir, o que veio a acontecer.

No entanto, o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga julgou improcedente a referida resolução mas, ainda assim, a autarquia reafirma a convicção de que a "decisão de revogação do alargamento é necessária, legítima e legal".

Além da questão do alargamento da área de superfície concessionada, a autarquia e a ESSE encontram-se a negociar uma possível indemnização a pagar pela Câmara pelo "excesso" de avenças de estacionamento nas artérias que figuravam na primeira versão do contrato de concessão.

"Há realmente um desequilíbrio para o contrato que decorre do aumento do número de avenças face ao inicial", disse Rio, após uma reunião com a ESSE a 23 de janeiro, pelo que o autarca concordou com a possibilidade de ter que pagar uma indemnização mas não o valor pedido pela concessionária.

Na data de celebração do contrato de concessão entre a Câmara Municipal de Braga e a ESSE para 1200 lugares concessionados existiam cerca de 30% de avenças, número que atualmente se situa nos 60 por cento.

"A única solução é ter critérios mais rigorosos na atribuição das avenças e encontrar uma solução equilibrada como existe noutros pontos do país e que acabe por fazer convergir o número de avenças com aquilo que era o rácio original", adiantou Rio.



http://www.noticiasaominuto.com/pais/16 ... vJZfWJ_v-k



Braga: ESSE volta a fiscalizar e a cobrar estacionamento das artérias suprimidas


BRAGA
2014-02-05
autor- Redacção



A Câmara Municipal de Braga foi ontem informada, pela ESSE, concessionária de exploração de estacionamento à superfície em Braga, da sua intenção de voltar a proceder à fiscalização e cobrança desse mesmo estacionamento nas artérias que haviam sido suprimidas na deliberação Municipal de 28 de Outubro último, a partir de hoje, dia 5 de Fevereiro de 2014.

Na base desta decisão estará a informação de que a Magistrada Mariana dos Santos Freitas julgou improcedente as razões em que se fundamentou a Resolução Fundamentada, interposta pela autarquia, que visava suspender o efeito de aplicação imediata da Providência Cautelar interposta pela concessionária.

Recorde-se que, na ausência de tal Resolução Fundamentada ou, como sucede no caso vertente, por força da sua não-aceitação por parte da Magistrada, a referida Providência Cautelar produz efei

tos imediatos enquanto não for judicialmente apreciada, o que ainda não sucedeu.
Sob este prisma judicial mantém-se, pois, a perspectiva da actual gestão municipal, que esta providência será improcedente e a sua decisão de revogação do alargamento necessária, legítima e legal.

A própria decisão judicial de não-aceitação da Resolução Fundamentada será formalmente contestada.
Sucede, ainda, que ao abrigo da fundamentação explanada pela juíza, o interesse público que a Resolução Fundamentada procurava preservar se encontra salvaguardada pelo regime de avenças de que usufruem actualmente moradores e comerciantes.

Ora, tal pressuposto inviabiliza, no imediato, (até que a própria Providência Cautelar seja judicialmente apreciada) qualquer iniciativa de alteração aos critérios, procedimentos ou valores ao regime de avenças em vigor
.



http://www.correiodominho.com/noticias.php?id=75938
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor mister B » terça fev 11, 2014 6:01 pm

Por Marisa Soares

11.02.2014

Porto e Braga completam o pódio no relatório sobre as cidades com melhor "marca" em Portugal, elaborado pela consultora Bloom Consulting.

A “marca” Lisboa é a que vende melhor em Portugal. A capital lidera um ranking sobre “city branding” divulgado nesta terça-feira, que
analisa o desempenho dos 308 municípios portugueses nas vertentes de investimento, turismo e qualidade de vida. Porto e Braga completam o pódio.

O relatório elaborado pela consultora internacional Bloom Consulting baseia-se em estatísticas oficiais e em pesquisas online, e analisa variáveis como o número de novas empresas, as taxas de ocupação hoteleira, desemprego, criminalidade e poder de compra em cada um dos municípios em comparação com a média nacional.

O ranking é “indiscutivelmente liderado por dois pesos pesados”, Lisboa e Porto, notam os autores do estudo. Lisboa está em primeiro lugar em todas as categorias. Ainda assim, os autores sublinham que “o declínio populacional e empresarial e o abrandamento da actividade turística fazem com que Lisboa se encontre, hoje em dia, a perder algum terreno tornando a sua distância menos acentuada em relação aos demais municípios do pódio”.

Tanto Lisboa como o Porto surgem como “portas de entrada” em Portugal para investidores, turistas e moradores (embora o Porto esteja pior cotado nestas duas últimas categorias, em termos relativos). Braga surge em terceiro lugar sobretudo graças ao bom desempenho na área dos negócios, embora esteja menos bem na categoria de turismo.

“Por sua vez, Oeiras [em 4.º], cidade que alberga o hub comercial e tecnológico da Grande Lisboa a nível nacional, apresentou resultados muito semelhantes aos obtidos por Braga”, notam os autores do Portugal City Brand Ranking.

A região Centro está representada no top ten com três cidades: Coimbra (5.º), Aveiro (6.º) e Leiria (7.º). No entanto, apesar de estes municípios apresentarem uma posição de destaque na categoria designada Viver, "a sua avaliação geral continua a sofrer um impacto negativo devido ao fraco desempenho na dimensão Visitar (Turismo)”, lê-se no relatório.

Faro é o único município do Algarve na lista dos dez melhores classificados (em 8.º), com resultados favoráveis no que toca à qualidade de vida e ao turismo. “A região algarvia é sinónimo de turismo em Portugal”, refere o documento. A nível nacional, os municípios de Albufeira, Tavira, Lagos, Portimão e Faro estão na lista dos dez melhores na categoria Visitar (Turismo). Albufeira lidera a tabela de estadias tendo também a maior percentagem por habitante.

A lista dos dez melhores fica completa com Guimarães (9.º), que obtém melhor classificação na atracção de investimento, e Cascais (10.º), que fica em 6.º no top ten da categoria Viver.

“O top 10 [a nível global] revela uma concentração de municípios situados nas áreas mais industrializadas de Portugal: Norte e Grande Lisboa, onde a robustez e o ambiente negocial criam melhores oportunidades para os seus residentes”, concluem os autores.

Sintra surge em 11.º lugar no ranking global, mas se considerarmos apenas a categoria Viver fica em quinto. Segue-se Évora, o único município do Alentejo representado na lista dos 25 municípios com melhor “marca”. Na lista estão ainda, e por esta ordem, os municípios de Setúbal, Viseu, Viana do Castelo, Maia, Funchal (o único a representar as regiões autónomas), Almada, Torres Vedras, Matosinhos, Albufeira, Portimão, Lagos, Vila do Conde e Castelo Branco. Monforte (em Portalegre, no Alentejo) ocupa o último lugar da lista dos 308 municípios.

Este é o primeiro relatório da Bloom Consulting sobre os municípios, e vem na sequência de outros já feitos sobre países e regiões. No documento, a consultora explica que o estudo é destinado "ao público em geral interessado em política, reputação, economia, cidadania e urbanismo".

http://fugas.publico.pt/Noticias/330653_lisboa-e-a-melhor-cidade-do-pais-para-viver-investir-e-visitar
I love Braga
mister B
Arcebispo
 
Mensagens: 1474
Registado: sábado jul 05, 2008 9:27 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor Brc20 » sexta fev 28, 2014 4:15 pm

Excelente notícia:

Braga vai remover Linha de Alta Tensão que atravessa Centro da Cidade



O Presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, e o Vereador da Energia, Altino Bessa, reuniram com a Direcção da EDP Distribuição, na pessoa do Presidente do Conselho de Administração, Eng. João Torres, e do Director Regional do Norte, Eng. Mário Guimarães, num encontro em que se discutiram diferentes assuntos relacionados com os processos distribuição energética no Concelho de Braga.

Como nota de especial realce, e na sequência dos insistentes pedidos do actual Executivo Municipal, a EDP Distribuição anunciou que irá brevemente proceder à desactivação de parte da linha de alta tensão “Lindoso-Braga”, que atravessa a zona urbana da cidade, num processo que ficará integralmente concluído até ao final do primeiro semestre de 2014.

Segundo Ricardo Rio, “iniciar-se-á de imediato a desmontagem dos condutores, numa extensão total de 5,1 km, a que se seguirá a remoção dos 24 apoios existentes ao longo do percurso. Esta é uma linha que constituía um problema para os cidadãos a diversos níveis, uma vez que atravessava uma zona muito sensível da cidade e altamente habitacional, como são os casos de Freguesias como Gualtar, Lamaçães, Fraião, S. Lázaro ou Nogueira”, afirmou o Autarca, salientando que esta é uma decisão que protege os superiores interesses dos Bracarenses.

Com este objectivo, a EDP Distribuição está já a proceder a remodelações nas subestações de Braga e Lamaçães tendo também iniciado os trabalhos de instalação de duas linhas subterrâneas.

Paralelamente, está a decorrer um estudo de implementação de rede de baixa tensão na zona histórica da Cidade, enquadrada na lógica do Município de requalificação desta zona nobre da Cidade. No que se refere à eficiência energética, designadamente na iluminação pública, esta mantém-se uma prioridade da Câmara Municipal, o que levará ao alargamento de experiências de substituição dos modelos de lâmpadas actuais.

“Estamos a acordar com a EDP um conjunto de acções que possam levar à redução da despesa com energia, como a substituição de lâmpadas de vapor de Mercúrio por vapor de sódio”, sublinhou Altino Bessa, vereador do Ambiente, garantindo que as luminárias LED serão testadas em algumas ruas da cidade e podem ser uma solução muito mais económica para o futuro.



via http://www.bragatv.pt/artigo/1200


Quando há vontade as coisas mudam: «na sequência dos insistentes pedidos do actual Executivo Municipal» ; «“iniciar-se-á de imediato a desmontagem dos condutores, numa extensão total de 5,1 km, a que se seguirá a remoção dos 24 apoios existentes ao longo do percurso. »
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor Brc20 » sexta fev 28, 2014 4:23 pm

Outra boa notícia:


InvestBraga vai ser lançada a 6 de Março para atrair investimento para a região


28-02-2014 14:16 | Norte
Fonte: Agência Lusa


Lisboa, 28 fev (Lusa) -- A InvestBraga, Agência para a Dinamização Económica de Braga, vai ser lançada no dia 06 de março, nesta cidade, tendo como objetivo promover o desenvolvimento económico do concelho, através da atração de investimento e empreendedores.

Num encontro com a imprensa esta quinta-feira, em Lisboa, o presidente do conselho de administração da agência, Carlos Oliveira, afirmou que "a InvestBraga vai colocar Braga no radar nacional e internacional do investimento e do empreendedorismo, através do desenvolvimento e da promoção das vantagens competitivas e dos recursos da região".

Carlos Oliveira, antigo secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, entre 2011 e 2013, que em 2000 fundou, juntamente com três sócios, a MobiComp, uma empresa de aplicações para smartphones e telemóveis, vendida à Microsoft em 2008, aceitou exercer funções "não executivas, não remuneradas" na InvestBraga.

Assim, a partir do Parque de Exposições de Braga (PEB), uma empresa municipal focada na realização de feiras, congressos e eventos, vai surgir a InvestBraga, que irá funcionar como um acelerador de empresas capaz de criar condições para atrair "gente do país todo" e evoluir em associação com a Microsoft Ventures, um parceiro estratégico que trará valor para as startup.

Está previsto que a InvestBraga crie um ecossistema de empreendedorismo com a Startup Braga.

A InvestBraga propõe-se redefinir a "ambição estratégica" do PEB e ter ainda como parceiro a Universidade do Minho, não só na área da Investigação & Desenvolvimento (I&D), fundamental e aplicado, mas também na da formação de quadros, pelo que ainda terá, adiantou o responsável, um conselho estratégico.

Por isso isso, no dia do seu lançamento, a InvestBraga vai assinar "protocolos práticos" com o Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (IAPMEI), Instituto de Apoio e Formação Profissional (IEFP) e com a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

A desburocratização é outra das apostas da InvestBraga que irá criar, segundo gestor, "vias verdes", que tornem "o licenciamento mais expedito" e ao mesmo tempo fornecer informação que permita aos empreendedores, já instalados, e às startup "um maior esclarecimento", nomeadamente em relação às fontes de financiamento comunitárias.

O evento de apresentação da InvestBraga deverá contar com a presença de Rodrigo Costa, gestor e antigo presidente executivo da ZON, bem como do presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, e agentes económicos locais e nacionais, bem como dos presidentes do IAPMEI, Luís Filipe Costa, do Instituto do Emprego e Formação Profissional, Jorge Gaspar, e da AICEP, Pedro Reis, que termina o mandato em março deste ano, avançou o gestor.

A InvestBraga vai atuar como "braço económico" do município bracarense e terá como objetivo atrair investimento que "mantenha e crie emprego", explicou Carlos Oliveira, adiantando também que com o projeto pretende "promover o desenvolvimento e a gestão de uma rede local que integre todos os agentes responsáveis pelo crescimento económico".

"Queremos atrair empresários e empreendedores nacionais e internacionais e tornar Braga num polo atrativo e com um ambiente propício para o estabelecimento de investidores, empresários e startups", salientou.

Carlos Oliveira lembrou que Braga é conhecida como "uma cidade jovem e empreendedora", que tem "qualidade de vida" e proximidade ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Estes aspetos conferem-lhe vantagens "comparativas e competitivas", entre outras, ao nível da indústria e do turismo, que lhe permitem "gerar mais valor" para a região e "manter e criar novos empregos".

JS// ATR

Lusa/Fim



http://portocanal.sapo.pt/noticia/19215/
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor El Salvador » sexta fev 28, 2014 5:09 pm

E agora a má noticia:
http://www.diariodominho.pt/conteudos/52904

Fico com curiosidade de ver a reacção do Senhor Presidente da Câmara.
Temo que quando não seja malhar no PS seja deste tipo:
http://bragaon.blogspot.pt/2014/02/vari ... -pelo.html



















.
El Salvador
Arcebispo
 
Mensagens: 1428
Registado: quarta fev 20, 2008 5:17 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor Brc20 » sábado mar 01, 2014 2:15 pm

Braga vai remover Linha de Alta Tensão que atravessa Centro da Cidade



BRAGA
2014-02-28
autor- Redacção



O Presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, e o Vereador da Energia, Altino Bessa, reuniram com a Direcção da EDP Distribuição, na pessoa do Presidente do Conselho de Administração, Eng. João Torres, e do Director Regional do Norte, Eng. Mário Guimarães, num encontro em que se discutiram diferentes assuntos relacionados com os processos distribuição energética no Concelho de Braga.

Como nota de especial realce, e na sequência dos insistentes pedidos do actual Executivo Municipal, a EDP Distribuição anunciou que irá brevemente proceder à desactivação de parte da linha de alta tensão “Lindoso-Braga”, que atravessa a zona urbana da cidade, num processo que ficará integralmente concluído até ao final do primeiro semestre de 2014.

Segundo Ricardo Rio, “iniciar-se-á de imediato a desmontagem dos condutores, numa extensão total de 5,1 km, a que se seguirá a remoção dos 24 apoios existentes ao longo do percurso. Esta é uma linha que constituía um problema para os cidadãos a diversos níveis, uma vez que atravessava uma zona muito sensível da cidade e altamente habitacional, como são os casos de Freguesias como Gualtar, Lamaçães, Fraião, S. Lázaro ou Nogueira”, afirmou o Autarca, salientando que esta é uma decisão que protege os superiores interesses dos Bracarenses.

Com este objectivo, a EDP Distribuição está já a proceder a remodelações nas subestações de Braga e Lamaçães tendo também iniciado os trabalhos de instalação de duas linhas subterrâneas.
Paralelamente, está a decorrer um estudo de implementação de rede de baixa tensão na zona histórica da Cidade, enquadrada na lógica do Município de requalificação desta zona nobre da Cidade. No que se refere à eficiência energética, designadamente na iluminação pública, esta mantém-se uma prioridade da Câmara Municipal, o que levará ao alargamento de experiências de substituição dos modelos de lâmpadas actuais.

“Estamos a acordar com a EDP um conjunto de acções que possam levar à redução da despesa com energia, como a substituição de lâmpadas de vapor de Mercúrio por vapor de sódio”, sublinhou Altino Bessa, vereador do Ambiente, garantindo que as luminárias LED serão testadas em algumas ruas da cidade e podem ser uma solução muito mais económica para o futuro.


*** Nota da C.M. de Braga ***



http://www.correiodominho.com/noticias.php?id=76471
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor Brc20 » sábado mar 01, 2014 2:19 pm

A “obra-prima do rococó português” vai acolher a memória dos hospitais de Braga

SAMUEL SILVA 01/03/2014 - 08:58

Palácio do Raio será Centro Interpretativo das Memórias da Misericórdia de Braga, recebendo espólio da instituição e dos cuidados de saúde na região


O centro interpretativo irá receber peças de antigos hospitais da Misericórdia, como o de S. Marcos LUÍS EFIGÉNIO/NFACTOS


A memória dos antigos hospitais das Misericórdias do Minho vai ser preservada pela Santa Casa de Braga num centro interpretativo, para o qual recebeu este mês um financiamento comunitário. O equipamento vai ocupar o Palácio do Raio, no centro da cidade e uma das mais importantes obras da arquitectura barroca no país. O edifício está há vários anos devoluto e vai ser integralmente reabilitado para acolher o núcleo museológico, bem como o acervo documental da instituição.

Máquinas e aparelhos usados nos cuidados médicos, bem como outros utensílios dos antigos hospitais farão parte da exposição permanente do Centro Interpretativo das Memórias da Misericórdia de Braga, cujas obras devem começar no próximo mês. A estes vão também juntar-se documentos que guardam o passado dos cuidados de saúde no Minho, que esteve a cargo das Misericórdias antes da criação do Serviço Nacional de Saúde.

Por isso, o centro interpretativo vai ocupar o Palácio do Raio, onde durante todo o século XX, estiveram instalados serviços do Hospital de S. Marcos. Situado na rua do Raio, junto à Avenida da Liberdade, o edifício é um dos mais emblemáticos de Braga e um exemplar raro da fase mais exuberante da arquitectura barroca no país. O palácio é classificado como “a obra-prima do rococó português” pelo Historiador de Arte Eduardo Pires de Oliveira, que tem dedicado a sua via ao estudo da obra de André Soares, autor do edifício. “Há obras importantes do rococó na região, mas o Raio é uma coisa à parte. É muito mais complexo do que qualquer outra peça”, ilustra.
O centro interpretativo é um dos vinte e seis projetos de requalificação na área do Património Cultural com financiamento comunitário na semana passada pelo Programa Operacional do Norte. A iniciativa tem um orçamento de 4,2 milhões de euros que vão ser usados na reabilitação integral do Palácio, que é Imóvel de Interesse Público desde 1956.

O espaço vai guardar também o espólio documental da Santa Casa da Misericórdia de Braga. O acerco “não é particularmente famoso”, defende Eduardo Pires de Oliveira, conhecedor profundo dos acervos das confrarias e outras instituições religiosas do Minho. O espólio “não se compara com os das Misericórdias de Lisboa e Porto” e falta-lhe “uma peça fundamentalíssima”, que é o retrato do João Duarte Faria, primeiro dono do Palácio do Raio e benfeitor do hospital de Braga, cujo paradeiro não é conhecido.

Foi esse rico comerciante que encomendou o palácio, em 1752, a André Soares. A obra foi criada durante o período áureo do barroco em Braga, que tinha sido inaugurado pela mão do arcebispo D. José de Bragança, irmão do rei D. João V. Na fachada sobressai a exuberância da decoração, desde logo da porta central ricamente trabalhada e também das 11 janelas dividas pelos dois pisos. Os ornatos são assimétricos, dando ao edifício uma dinâmica e um dramatismo que são comuns na obra do arquitecto bracarense.

A obra teve depois uma segunda campanha, nos finais do século XIX, altura em que foram colocados os azulejos que dão o tom azul à fachada, bem como uma porta de vidros coloridos que separa o átrio da caixa de escadas. É desta altura também a pintura dos tectos e da caixa de escadas, atribuída a Pereira Júnior, um artista que trocou, naquela altura, Lisboa por Braga, depois de ter pintado também parte da decoração do edifício da Câmara da capital.

Foi no final do século XIX que o edifício passou para as mãos da Santa Casa da Misericórdia de Braga, que comprou o edifício em 1873. As várias utilizações do edifício resultaram num interior “bastante descarecterizado”. “Foram sendo construídas salinhas e saletas no piso nobre”, conta Eduardo Pires de Oliveira. O palácio acabou por ser integrado no complexo do hospital de S. Marcos, que funcionou naquela zona da cidade até 2011. Nessa fase altura foram feitas outras alterações no interior da estrutura, que agora deverão ser revertidas com o projecto de reabilitação.

“É preciso algum acompanhamento nesse processo”, adverte Pires de Oliveira, defendendo a contratação de uma equipa multidisciplinar (com especialistas na área do documento, da história da arte, do restauro e da arqueologia, além de arquitectos e engenheiros civis) para acompanhar o processo e evitar erros no processo de transformação do palácio rococó num centro interpretativo



http://www.publico.pt/local/noticia/a-o ... ga-1626616
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

Re: Banca de Jornais - Capas e Notícias

Mensagempor El Salvador » sábado mar 01, 2014 3:43 pm

E o papel (4,2 Milhões) já está aqui reservado:
http://www.novonorte.qren.pt/pt/noticia ... hp?id=2788
El Salvador
Arcebispo
 
Mensagens: 1428
Registado: quarta fev 20, 2008 5:17 pm

AnteriorPróximo

Voltar para Sociedade e Politica

Quem está ligado:

Utilizadores a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 5 visitantes

cron