Bracarae - O fórum de Braga! • Ver Tópico - Ciência - Discussão Geral

Ciência - Discussão Geral  

Espaço para discutir as últimas da ciência e tecnologia.

Ciência - Discussão Geral

Mensagempor Bracarensis » sexta mai 22, 2009 10:08 am

Ciência Hoje Escreveu:2009-05-22

Última pedra retirada da Lua está em Portugal exposta no Museu da Ciência em Coimbra

Imagem
Última pedra retirada da Lua

Com o apoio da NASA e da Critical Software, o Museu da Ciência da Universidade de Coimbra (UC) recebeu a pedra que o último astronauta a pisar a Lua trouxe na Apollo 17. Uma história que o investigador da Universidade do Texas, Carlos Oliveira - que tem colaborado com Ciência Hoje -, vai também revisitar, desvendando os segredos dos homens que participaram nesta aventura.

Imagem
Eugene Cernan

A pedra lunar veio para a Terra com o astronauta Gene Cernan, em Dezembro de 1972, o último homem a pisar a Lua. Depois de viajar de Houston (Estados Unidos) para Coimbra, a pedra da Lua vai ser apresentada no dia 22 de Maio (hoje), ficando em exibição até 24 de Julho, uma iniciativa para assinalar o Ano Internacional da Astronomia (AIA 2009).

Com 152 gramas de peso, trata-se de um fragmento de uma rocha com mais de cinco toneladas e 3,9 mil milhões de anos, sendo mais velha que 99,99% de todas as rochas que compõem a superfície terrestre.
...Se gostas da noite, conquista o teu pedacinho de Céu e não tires os olhos de cima!!!
ImagemImagem
Avatar do Utilizador
Bracarensis
Arcebispo
 
Mensagens: 855
Registado: quarta nov 19, 2008 11:47 am
Localização: Braga

Re: Ciência

Mensagempor Bracarensis » sexta mai 22, 2009 11:00 am

Ciência Hoje Escreveu:2009-05-19
Universidade de Coimbra apresenta sábado em Braga robô para cirurgias minimamente invasivas

Durante o 2º Congresso da Sociedade, que se realizada de 22 a 23 de Maio, na Universidade do Minho (UM) em Braga, a Universidade de Coimbra (UC) vai apresentar um robô que está a ser desenvolvido para realizar cirurgias minimamente invasivas nos hospitais.

Imagem
Rui Cortesão, coordenador do projecto do robô da UC

O congresso vai contar com a presença de 400 pessoas, 300 médicos e 100 conferencistas. O evento, que conta com a participação da Escola de Ciências da Saúde da instituição e do serviço de Cirurgia do Hospital Central de São Marcos, inclui sessões plenárias e seminários específicos sobre ginecologia e enfermagem. No final do Congresso, terá lugar a Assembleia-geral da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Minimamente Invasiva (SPCMIN).
...Se gostas da noite, conquista o teu pedacinho de Céu e não tires os olhos de cima!!!
ImagemImagem
Avatar do Utilizador
Bracarensis
Arcebispo
 
Mensagens: 855
Registado: quarta nov 19, 2008 11:47 am
Localização: Braga

Re: Ciência

Mensagempor Mr Strangelet » sexta mai 22, 2009 2:02 pm

Excelente tópico :good: Interessantes noticias :D
Mr Strangelet
Cardeal
 
Mensagens: 5367
Registado: segunda fev 18, 2008 7:18 pm
Localização: Minho

Re: Ciência

Mensagempor jcmarques » sexta mai 22, 2009 2:43 pm

Ciencia... descubre o mundo :D e o universo
Imagem
Imagem
Avatar do Utilizador
jcmarques
Cardeal
 
Mensagens: 2463
Registado: terça abr 22, 2008 8:48 am
Localização: Braga

Re: Ciência

Mensagempor Bracarensis » domingo mai 24, 2009 6:43 pm

Ciência Hoje Escreveu:Início das comemorações da expedição de Eddington à ilha do Príncipe
Ministro defende o estudo da história da Ciência em Portugal

Imagem
Albert Einstein com Eddington

As experiências de Arthur Eddington em 1919 são importantes para conhecer a história do atraso científico de Portugal, que pouco aproveitou do facto de terem acontecido em território então português, a ilha do Príncipe, afirmou o ministro da Ciência. Mariano Gago falava quinta-feira à noite numa conferência evocativa da expedição de Eddington, na ilha do Príncipe, na Sociedade de Geografia de Lisboa. As comemorações dos 90 anos da experiência que comprovou a teoria da relatividade de Einstein vai permitir fazer divulgação científica no país, mas também demonstrar pela história a "difícil tarefa de fazer ciência em Portugal". E sublinhou que "faz parte do nosso passado. Se não o entendermos, teremos dificuldade em construir a ciência do futuro".
...Se gostas da noite, conquista o teu pedacinho de Céu e não tires os olhos de cima!!!
ImagemImagem
Avatar do Utilizador
Bracarensis
Arcebispo
 
Mensagens: 855
Registado: quarta nov 19, 2008 11:47 am
Localização: Braga

Re: Ciência

Mensagempor porto69 » terça mai 26, 2009 2:54 pm

bom post

sim senhor
Imagem
Avatar do Utilizador
porto69
Bispo
 
Mensagens: 233
Registado: sábado mai 24, 2008 2:40 pm

Re: Ciência

Mensagempor Mr Strangelet » domingo jun 07, 2009 6:06 pm

O fóssil foi um caso de ciência pop
Era uma vez Ida, a maior descoberta de todos os tempos...


Imagem

Nem o Google escapou à histeria. Quinta-feira de manhã, o logótipo da empresa tinha-se transformado numa paisagem do Eocénico com o mais recente "elo perdido" da evolução humana estampado no centro.

Ida ou Darwinius masillae - para celebrar os 200 anos do nascimento de Charles Darwin -, o fóssil de uma primata com 47 milhões de anos, tinha sido dada a conhecer ao mundo no dia anterior, a 19 de Maio, e veio embrulhada num pacote irresistível, com o laçarote "a oitava maravilha do mundo" ou "a Mona Lisa" de Oslo, à escolha do freguês. Nessa quarta-feira o estudo foi publicado na revista científica online "Public Library of Science One" (PLoS One), ao mesmo tempo que em muitas redacções do mundo algum jornalista ou editor recebia um comunicado de imprensa intitulado The link.

Poucos órgãos de comunicação sabiam o que estava para acontecer. O comunicado da PLoS One explicava que aquela informação era "para publicação imediata, não há embargo associado a este artigo", por isso os jornais estavam livres para publicar a notícia quando quisessem. Resultado, a descoberta tem 763 ligações no Google Notícias UK e 62 no português. No mesmo dia o fóssil foi apresentado numa exposição em Nova Iorque pelo mayor da cidade. Foi também disponibilizado um site, lançado um livro e a BBC e o Canal História, que seguiram os vários passos da pesquisa do fóssil, tinham documentários televisivos prontos para serem apresentados. Era difícil conseguir mais imediatismo à volta do fóssil, mas a máquina que lançou Ida pôs ainda David Attenborough à frente do esqueleto. "Ela representa a semente de onde vieram a diversidade dos macacos, os macacos antropóides e em última análise todas as pessoas do planeta", disse o famoso comunicador de ciência britânico ao jornal "Guardian", que já tinha preparado duas páginas de jornal para contar toda a história.

Perdida no tempo

Ida teve um pontapé de saída explosivo, dirigido com ângulo certo para ser apanhado por todos os meios de comunicação. "A ciência já está muito permeável às técnicas jornalísticas", esclareceu ao P2 Helena Mendonça, jornalista e bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia, apontando como exemplo a técnica do lead - o primeiro parágrafo com que os artigos no jornalismo arrancam, onde se responde ao quê, quando, como, onde e porquê da notícia - que já é utilizada em todos os comunicados na ciência.

A crítica principal feita aos autores foi a forma como apresentaram Ida ao público, transmitindo a ideia de que as ossadas eram a maior descoberta de sempre de um elo perdido e que iriam revolucionar tudo o que se sabia até aqui sobre a evolução do Homem, o que estava bastante distante da informação patente no artigo científico. Se mais nada fosse dito, e se ninguém estivesse atento, Darwinius masillae ficava na História como nosso antepassado directo com 47 milhões de anos, na altura em que os primatas ainda se estavam a diversificar.

Só por si Ida é impressionante. Está preservada em 95 por cento, raríssimo se olharmos para outros fósseis de primatas da mesma altura que chegam às nossas mãos só com uma mandíbula ou outro osso. A primata teria nove meses quando caiu no lago Messel, que fica na região que hoje é a Alemanha, quando a Terra tinha um clima mais quente, com florestas tropicais a alcançarem a latitude actual do Sul de França e florestas temperadas a tocarem nos pólos, uma verdadeira estufa - foi na época do Eocénico, há 56 a 34 milhões de anos.

O lago Messel manteve a primata preservada em sedimentos finos. Quando em 1983 um coleccionador privado encontrou as ossadas na cova de Messel - que é Património da Humanidade classificada pela UNESCO devido aos inúmeros fósseis desta época que guarda em condições extraordinárias -, não só era possível ver o contorno dos pêlos da primata, alguns até estavam conservados, como a última refeição vegetariana ainda não tinha sido comida pelo tempo.

O fóssil teve uma vida atribulada até 2002. As ossadas foram divididas em duas metades, tendo uma sido restaurada e vendida como se estivesse completa. Em 1991, o Dinosaur Center at Thermopolis, no Wyoming, EUA, adquiriu-a. Mas em 2000, Jens Franzen, primeiro autor do novo artigo sobre Ida, estudou e compreendeu que o restauro era um logro, só com uma pequena parte verdadeira. A outra metade, que era maior, foi adquirida só há dois anos pelo Museu de Oslo, numa bem sucedida aventura de Jorn Hurum, o show man norueguês da paleontologia, grande responsável pela exposição mediática de Ida.

"O meu coração começou a bater muito depressa", disse o investigador do Museu de Oslo aos jornalistas há duas semanas, referindo-se à compra do fóssil. "Eu sabia que o vendedor tinha nas mãos um acontecimento mundial. Não consegui dormir durante duas noites." Há poucos dias, Hurum revelou que adquiriu a segunda parte do fóssil por mais de 500 mil euros. Depois, o paleontólogo contactou vários investigadores para analisar o fóssil.

Mas antes de reunir aquilo que chamou a sua "equipa de sonho", o norueguês apresentou Ida a Anthony Geffen, o director executivo da Atlantic Productions, uma produtora sedeada em Londres. Os dois já estavam envolvidos num programa sobre o Predador X - o fóssil de um réptil e carnívoro aquático do tempo dos dinossauros que Hurum estava a investigar. O monstro foi dado a conhecer em Março, na mesma altura em que o documentário foi exibido pelo Canal História, com a frase-anúncio "Faz o Tyranossaurus rex parecer um cachorrinho".

Geffen ficou imediatamente interessado em Ida. "Na realidade, é raro alguém que faz televisão compreender a importância de um pequeno animal com o tamanho de um gato", explicou o norueguês à revista "Seed". Durante dois anos, enquanto a investigação sobre o fóssil prosseguiu, a campanha mediática foi crescendo.

Entre teorias

"É provável que pudesse ter sido publicada uma pesquisa mais detalhada", disse por email ao P2 o paleontólogo Christophe Soligo, referindo-se ao resultado dos dois anos de estudo de Ida. "E pelo menos um dos autores (Phil Gingerich) parece admitir que estiveram sob pressão para coordenar o artigo com os planos de publicidade", referiu o investigador do London College.

O artigo científico publicado na PLoS One foi comparar várias características entre as novas ossadas e os esqueletos de primatas da mesma época. O Darwinius masillae pertence aos adapiformes, um grupo de primatas extinto que se pensa estar mais próximo dos primatas inferiores como os lémures e mais distante dos grupos de primatas superiores que incluem os társios e os verdadeiros símios - macacos dos velho e novo mundo, antropóides e o Homem.

Mas Ida, que não tem mais do que 66 centímetros de comprimento, apresenta características que a afastam dos lémures e aproximam-na dos macacos superiores: não tem uma garra no segundo dedo do pé, nem dentes fundidos, os polegares dos pés são oponíveis e já apresenta o talus, um osso do tornozelo que aparece mais desenvolvido nos humanos. Estas características dão força a uma teoria que defende que os adapiformes estão incluídos no ramo que deu origem aos primatas superiores, levemente sustentada pelo artigo.

"Isto não é uma hipótese nova", explica Christophe Soligo. "Os Cercamoniinae (a subfamília dos adapiformes a que Darwinius pertence) tem sido durante muito tempo um dos grupos dos primatas do Eocénico que se teoriza ter estado na origem da evolução dos antropóides, apesar de esta hipótese se ter tornado menos popular nos últimos anos."

Assumir o espectáculo

Embora haja no meio científico quem considere que o estudo tem lacunas quanto ao número de características que se compararam entre Ida e os outros fósseis, tanto o paleontólogo como Adam Rutherford, jornalista da "Nature" que escreveu um artigo de opinião a criticar a campanha mediática, defendem que o estudo apresentado na PLoS One é cauteloso.

"Houve coisas ditas sobre Ida que não estavam no artigo, que sofreu peer review [o processo de revisão dos artigos que é feito por outros especialistas na área e é fundamental no processo de produção científica]: quando dito pelos media, isso é mau jornalismo. Quando dito pelos cientistas, isso é perigoso e desrespeita o processo de revisão", explicou ao P2 por email o jornalista, que também edita os podcasts da Nature.

"O que neste caso parece ser paradigmático", aponta por outro lado Helena Mendonça, "é que fez-se o artigo o melhor possível, mas agora para a imprensa vai-se tornar isto numa grande bomba", refere a jornalista, que está a tirar o doutoramento sobre a relação entre o jornalismo e a ciência.

Em resposta a acusações parecidas, Jorn Hurum atenuou o significado do elo perdido. "Nós não estamos a alegar que [a Ida] é o nosso ancestral directo. Isso é de mais. Nós só existimos há poucos milhões de anos e a Ida esteve viva há 47 milhões de anos." Mas o cientista assume o espectáculo, que aliás, já tinha sido utilizado no Predador X, que segundo o paleontólogo é a melhor forma de pôr os miúdos interessados em paleontologia. "Qualquer banda pop ou atleta faz o mesmo tipo de coisas. Nós, na ciência, temos que começar a pensar da mesma forma", disse, citado pela "Times Online".

O norueguês defende ainda que o público deve ser o principal crítico da ciência, justificando desta forma a escolha da PLoS para publicar o artigo em detrimento de uma Nature ou Science, mais reputadas, mas com acesso limitado a assinantes ou a quem queira pagar pelo artigo, o que não acontece com a PLoS One que tem os conteúdos disponíveis gratuitamente.

"É difícil porque não há público que possa legitimar uma coisa destas", referiu Helena Mendonça em relação a esta posição do norueguês. "Nem acredito que outros antropólogos cá [em Portugal] possam olhar para o artigo e dizer que 'é verdade' ou 'não' o facto do elo perdido. Quem somos nós para dizer que isto é mau, no máximo poder-se-á dizer 'isto cheira mal'."

Rutherford põe no factor tempo a decisão final sobre o que representa o fóssil Ida. "Com o tempo, vamos compreender o que Ida é na realidade, e isso vai ser feito por cientistas motivados não por horários televisivos ou vendas de livros, mas pela procura do conhecimento, puro e simples", defendeu o jornalista, que apontou os blogues - e não os meios de comunicação tradicionais - como os locais de informação onde "mais uma vez" saíram as melhores notícias sobre o assunto.

"O problema com a apresentação da Ida é que foi demasiado grande em magnitude", desabafou o jornalista. "Algumas das declarações feitas pela equipa foram um absurdo, como compará-la à ida à Lua, à Mona Lisa ou ao Cálice Sagrado. Ela não é nada disso, mas é um fóssil verdadeiramente notável. Pessoalmente, acho que ela não precisa de nenhuma hipérbole, porque é impressionante."


http://ultimahora.publico.clix.pt/notic ... idCanal=13
Mr Strangelet
Cardeal
 
Mensagens: 5367
Registado: segunda fev 18, 2008 7:18 pm
Localização: Minho

Re: Ciência

Mensagempor CesarGomes » domingo jun 07, 2009 7:34 pm

Já ouvi dizer que afinal, esta descoberta, não tão relevante como se esperava...
Avatar do Utilizador
CesarGomes
Cardeal
 
Mensagens: 3263
Registado: domingo fev 17, 2008 9:54 pm
Localização: Braga

Mensagempor NrowS » quarta jul 15, 2009 1:18 pm

Já viram as iniciativas do Ciência Viva 2009?
Avatar do Utilizador
NrowS
Bispo
 
Mensagens: 249
Registado: sábado ago 30, 2008 3:30 pm

Re:

Mensagempor Bracarensis » quinta jul 16, 2009 12:27 pm

NrowS Escreveu:Já viram as iniciativas do Ciência Viva 2009?
Já! :D Aqui fica o link: http://www.cienciaviva.pt/home/
...e aqui fica a próxima iniciativa coordenada pela ORION - Sociedade Científica de Astronomia do Minho para a participação da cidade de Braga no "Apagão Ibérico":
Correio do Minho Escreveu:A ORION - Sociedade Científica de Astronomia do Minho já começou a preparar a participação da cidade dos arcebispos no ‘Apagão Ibérico’, que vai ter lugar a 18 Julho. “O objectivo é alertar e sensibilizar para os efeitos da poluição luminosa”, justificou o presidente, sublinhando que a iniciativa pretende juntar num mesmo local 50 a 60 telescópios paras as pessoas olharem o ceú enquanto não há luz e aperceberem-se das diferenças”.
...Estou ansioso que chegue sábado! Espero que o S. Pedro colabore e tenha o céu limpinho nessa noite! :D
...Se gostas da noite, conquista o teu pedacinho de Céu e não tires os olhos de cima!!!
ImagemImagem
Avatar do Utilizador
Bracarensis
Arcebispo
 
Mensagens: 855
Registado: quarta nov 19, 2008 11:47 am
Localização: Braga

Re: Ciência - Discussão Geral

Mensagempor Bracarensis » domingo jul 19, 2009 5:00 am

...e já está! :D Foi um sucesso!!! :D Pena que a confraria do Bom Jesus se tenha comprometido com um "apagão" e só colaborou com um "apaguinho". :D Mas de uma maneira geral foi muito bom. Cerca de 10 Telescópios (os reis foram os dobsonianos de 10" - havia 2 - e o de 12" da ORION mas também apareceram refratores, newtonianos e até binóculos... que para mim é a ferramenta que ainda me vai dando mais gozo se for acompanhado por um bom mapa do céu). As palestras dadas pelos membros da ORION foram bastante concorridas, tendo mesmo contado com inúmeras crianças, o que é uma satisfação para os objectivos da iniciativa. O tempo estava óptimo e o céu foi mesmo o limite...
Algumas fotos fresquinhas: :D
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

...Mas os eventos e as actividades continuam pelo Verão fora. Apareçam no observatório de Gualtar à noite.
...Se gostas da noite, conquista o teu pedacinho de Céu e não tires os olhos de cima!!!
ImagemImagem
Avatar do Utilizador
Bracarensis
Arcebispo
 
Mensagens: 855
Registado: quarta nov 19, 2008 11:47 am
Localização: Braga

Re: Ciência - Discussão Geral

Mensagempor Bracarensis » terça jul 21, 2009 9:47 am

i - por Marta F. Reis, Publicado em 21 de Julho de 2009 Escreveu:Alerta vermelho: Júpiter foi atingido

Imagem

É a segunda vez que é detectada uma colisão num planeta de grandes dimensões. Júpiter foi atingido este fim-de-semana por um grande corpo celeste – um cometa ou astróide ainda por identificar. A fenda aberta à superfície tem milhares de quilómetros, mas não deixa de ser uma pequena mancha face ao tamanho do gigante vermelho, que é 2,5 vezes maior que todos os outros planetas do sistema solar juntos.
A observação volta a chamar a atenção para a importância dos astrónomos amadores. Anthony Wesley, um amador australiano, estava a fazer observações rotineiras de Júpiter no domingo à noite quando percebeu uma mancha com vários milhares de quilómetros na região do pólo sul do planeta. Como podia tratar-se de uma tempestade, manteve o telescópio apontado àquela direcção durante mais 15 minutos – o suficiente para suspeitar de um impacto.
Sem saber, fez com um telescópio de 37 centímetros (os profissionais têm no mínimo 10 metros) aquilo que poderia ter passado ao lado da NASA. De Murrumbateman, na Austrália, contactou o Laboratório de Propulsão a Jacto da NASA, em Pasadena, Califórnia.
"Nunca esperei ver nada assim", comentou o astrónomo Leigh Fletcher, do Laboratório de Propulsão a Jacto da NASA, em Pasadena, Califórnia. Depois de receberem o alerta, e como tinham uma observação marcada no telescópio de infravermelhos do Havai, que é controlado a partir de Pasadena, os cientistas da NASA puderam confirmar a colisão. Segundo o astrónomo Glenn Orton, o impacto pode ser considerado de média dimensão e é semelhante ao observado em 1994 também em Júpiter. Na altura, foi publicado na revista científica “Science”, 21 fragmentos do cometa Shoemaker-Levy 9 abriram uma fenda gigante à superfície.
Os cientistas acreditam que as grandes extinções na Terra, de que é mais conhecido o fim da era dos dinossauros, possam ter sido desencadeadas pelo embate de cometas. O maior terá acontecido há 251 milhões de anos e levou ao desaparecimento de 90 por cento das espécies marinhas e 70 dos vertebrados terrestres.

...Se gostas da noite, conquista o teu pedacinho de Céu e não tires os olhos de cima!!!
ImagemImagem
Avatar do Utilizador
Bracarensis
Arcebispo
 
Mensagens: 855
Registado: quarta nov 19, 2008 11:47 am
Localização: Braga

Re: Ciência - Discussão Geral

Mensagempor Bracarensis » terça jul 21, 2009 10:37 am

i - por Sandra Pereira, Publicado em 21 de Julho de 2009 Escreveu:Maior eclipse solar do século na próxima madrugada

Imagem
Eclipse solar de seis minutos vai poder ser visto na madrugada de 22 de Julho
Philippe Plailly/ Eurelios/Science Photo Library

Quando forem 02:35:21 em Portugal, a sombra da Lua ocultará completamente o Sol durante 6 minutos e 39 segundos, mas só os chineses poderão observar o eclipse solar mais longo do século na totalidade. Se não quiser perder este fenómeno raro (já que o próximo só está previsto para 13 de Junho 2132), pode acompanhá-lo na internet no site http://www.eclipsesolar.es.

O sul da região autónoma do Tibete e as províncias do centro da China, bem como a cidade de Xangai, serão locais privilegiados para observar o fenómeno, que ocorre por volta das oito da manhã no país. Na China, o eclipse já provocou um boom turístico, enquanto na Índia, acordou velhas mitologias que anunciam maus presságios. O eclipse será visível numa faixa de 17 mil quilómetros de comprimento e 200 de largura. Poderá então ser visto parcialmente no norte da Índia, leste do Nepal, Bangladesh, Butão, Myanmar, oceano Pacífico e ilhas meridionais do Japão.

"Este eclipse é importante porque ocorre quando a lua está mais perto da Terra e, por isso, o seu diâmetro aparente é maior. Além disso, acontece numa região próxima da linha do equador, o que propicia uma duração mais longa", explicou ao i o astrónomo Máximo Ferreira. Cientistas de todo o mundo vão aproveitar a ocasião para estudar a actividade e a atmosfera do astro-rei, além de experiências para comprovar a teoria de que a gravidade do planeta diminui durante um eclipse solar.


...Se gostas da noite, conquista o teu pedacinho de Céu e não tires os olhos de cima!!!
ImagemImagem
Avatar do Utilizador
Bracarensis
Arcebispo
 
Mensagens: 855
Registado: quarta nov 19, 2008 11:47 am
Localização: Braga

Mensagempor jcmarques » quarta jul 22, 2009 2:33 pm

na china ficou mesmo escuro :S increivel...
Imagem
Imagem
Avatar do Utilizador
jcmarques
Cardeal
 
Mensagens: 2463
Registado: terça abr 22, 2008 8:48 am
Localização: Braga

Mensagempor Mr Strangelet » quinta jul 23, 2009 3:39 pm

Assistir a um evento destes no Tibete, com a envolvência simbólica daquele território, deve ser uma experiencia para a vida :D
Mr Strangelet
Cardeal
 
Mensagens: 5367
Registado: segunda fev 18, 2008 7:18 pm
Localização: Minho

Próximo

Voltar para Ciência e Tecnologia

Quem está ligado:

Utilizadores a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 3 visitantes

cron