Bracarae - O fórum de Braga! • Ver Tópico - Theatro Circo - Programação

Theatro Circo - Programação  

Museus, Bibliotecas, Música, Exposições, Festas, Teatro, Concertos….

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor Duarte » terça fev 22, 2011 2:31 pm

TRIBUTO A JOSÉ AFONSO
canto d’aqu
QUA 23 FEV 21,30h
8€

Imagem

Evocar a data da morte de José Afonso – 23 de Fevereiro – é já prática enraizada no calendário de espectáculos dos bracarenses Canto D’Aqui.
Este ano, em colaboração com o Município de Braga, o grupo traz o Tributo a Zeca Afonso para o Theatro Circo e propõe um espectáculo onde são interpretados vários temas do vasto repertório de grande qualidade que nos deixou “Zeca” Afonso, nome como era conhecido nos meios mais íntimos e com o qual se perpetuou até aos nossos dias.
História, poemas e música, muita música de Zeca Afonso, interpretada por várias formações convidadas – “Sopro de Zeca”, Grupo Coral da Associação de Pais do Conservatório de Braga, entre outros – são algumas das propostas que o grupo Canto D’Aqui reservam para uma noite de homenagem à «eterna obra de Zeca».

Organização: Grupo Canto D'Aqui
Direcção Musical: Filipe Cunha
Produção: Clavichorde, L.da

-----------------------------------------------------------------------------------------

Quem quiser assistir que se despache porque a sala ja está quase esgotada. :)
|Days of War|
Avatar do Utilizador
Duarte
Administrador
 
Mensagens: 5081
Registado: quinta mai 21, 2009 9:51 pm
Localização: Braga

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor Duarte » terça mar 01, 2011 5:05 pm

Esta Semana no TC

“RECURSOS HUMANOS”
FILME
o cinema francês é muito chato - laurent cantet
TER 01 MAR 21,30h
3€

Imagem

Franck é um jovem estudante de uma grande faculdade de comércio. Ao voltar para a casa dos pais, consegue estágio na empresa onde seu pai é porteiro há trinta anos. Trabalhando no setor de recursos humanos, achou que conseguiria mudar o conservadorismo da empresa, negociando para que houvesse uma redução nas horas de trabalho dos empregados. Mas logo descobre que sua tarefa é preparar caminho para uma reestruturação que levará a demissão de doze pessoas, inclusive do seu pai.
1999 | 100’ | M12 | França/ Reino Unido

ONCE UPON A TIME
Música-Dança-Teatro
conservatório de música calouste gulbenkian de Braga
QUI 03 MAR 21,30h
SEX 04 MAR 21,30h
10€

Imagem

A partir do musical “Beauty and the Beast”, de Alan Menken.
Era uma vez uma história.
Um príncipe, um castelo, um feitiço.
“Once Upon a Time” ou a magia de contar, cantar e encantar

Ficha Técnica:
Direcção musical: Paulo Matos | Direcção vocal: Inês Sofia | Assistente de direcção vocal: Joana Araújo | Orquestração: André Ruiz | Encenação e direcção plástica: Manuela Ferreira | Coreografia: Filomena Vasconcelos/Cristina Cardoso | Cenografia: Patrícia Costa | Direcção de cena: Maria João Lima | Desenho de som: Serafim Barreira | Desenho de luz: Virgínia Esteves | Design gráfico: Eva Ângelo | Transcrição e edição de partituras: Carlos Meireles/Serafim Barreira | Pianistas co-repetidores: João Lima, Madalena Duarte, Marlene Fernandes, Paula Peixoto | Produção: Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga | Produtor executivo: Carlos Meireles | Assistentes de produção: Luís Peixoto, David Braga, António Silva.

GRUPO DE FADOS E SERENATAS DA UNIVERSIDADE DO MINHO
tardes de domingo | fado
DOM 06 MAR 16,00h
2,5€

Imagem

O gosto pela música, em especial pela Canção Coimbrã, aliado ao desejo de prolongar um passado académico e de não deixar morrer as tradições académicas, juntou-nos, nascendo assim o Grupo de Fados e Serenatas da Universidade do Minho, colectivo a quem cabe a honra de assinalar a abertura da iniciativa “Tardes de Domingo”.
Actualmente constituído por cinco elementos fundadores (duas guitarras portuguesas, duas violas e um cantor) e dois elementos convidados (vozes), este grupo é formado por ex-alunos e por finalistas da Universidade do Minho.
M3
|Days of War|
Avatar do Utilizador
Duarte
Administrador
 
Mensagens: 5081
Registado: quinta mai 21, 2009 9:51 pm
Localização: Braga

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor Duarte » sexta mar 11, 2011 5:13 pm

PAGÚ ESCANGALHADO
bossa nova
SEX 11 MAR 21,30h
10€

Imagem

“Escangalhado” é o nome do novíssimo disco do Trio Pagú. Neste disco, o trio expande-se a quinteto, somando à voz quente de Alex Liberalli, à guitarra bluesy de Budda e à bateria irreverente de Nico, o groove do contrabaixo e baixo de Ginho Marques (Expensive Soul) e a genuinidade do Rhodes de Uriel Varallo.
O conceito de “Escangalhado” passa por revisitar grandes clássicos da Bossa Nova e da MPB, retirando-os do seu contexto habitual e dando-lhe uma nova roupagem.
De uma forma bem-humorada, este quinteto escangalha e desconstrói para reconstruir a partir das cinzas.
M12

A anteceder o seu concerto no Theatro Circo, os Pagú Escangalhado desenvolvem uma série de três workshops que terão como palco Escolas Secundárias de Braga.


FAST FORWARD PORTUGAL – FILM FESTIVAL (com actuação dos Smix Smox Smux)
parceria velha-a-branca - estaleiro cultural e theatro circo
SÁB 12 MAR 22,00h
5€

Imagem

O Fast Forward Portugal – Film Festival é um festival de curtas-metragens organizado pela Velha-a-Branca em que os concorrentes são convidados a realizar um filme em menos de 24 horas. A curta-metragem em formato digital deverá ter até três minutos e respeitar o tema entregue no início do Festival a cada equipa. Partindo do tema, cabe às equipas escrever, filmar e editar o trabalho final até ao dia seguinte. A exibição dos filmes das várias equipas e a escolha dos vencedores será feita nessa mesma noite.
Este ano, o Festival conta ainda com uma actuação da banda bracarense Smix, Smox, Smux.
M12
|Days of War|
Avatar do Utilizador
Duarte
Administrador
 
Mensagens: 5081
Registado: quinta mai 21, 2009 9:51 pm
Localização: Braga

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor Duarte » terça mar 15, 2011 6:47 pm

Esta semana no TC

“4 AVENTURAS DE REINETTE E MIRABELLE”
FILME
homenagem a eric rohmer - eric rohmer
TER 15 MAR 21,30h
3€

Imagem

Reinette (Joëlle Miquel) e Mirabelle (Jessica Forde) são duas belas jovens, com a 1ª morando no campo e a 2ª em Paris. Elas se encontram durante as férias de Mirabelle no campo, quando Reinette ajuda a consertar sua bicicleta e lhe mostra as belezas locais. As duas se tornam tão amigas que decidem dividir um apartamento em Paris, já que em breve iniciarão os estudos na faculdade. Porém logo Reinette se mostra simples e otimista, enquanto que Mirabelle é preguiçosa e pessimista. Esta diferença de temperamentos cria conflitos na casa que dividem.
1987 | M12 | 95’ | França

HERMETO PASCOAL E ALINE MORENA
brasil | experimental
SÁB 19 MAR 21,30h
20€

Imagem

O espectáculo conta com a voz, o piano, a viola caipira, o violão, a zabumba e a percussão corporal de Aline Morena e o cavaquinho, o piano, a viola caipira, o trompete, as flautas, o berrante, a escaleta, o oito baixos de Hermeto Pascoal, para além de um palco recheado de instrumentos alternativos como piscina, bacias, chocalhos de boi, bonequinhos, saia de alumínio, vestido de copos de iogurte... O público continua a ser parte fundamental ao cantar com eles melodias sem letra e até a poesia universal criada por Hermeto e recitada ou cantada pela Aline. É um espectáculo de Música Universal que vai do mais regional ao mais contemporâneo, do complexo ao simples, e vice-versa, misturando diferentes ritmos e estilos.
M12
|Days of War|
Avatar do Utilizador
Duarte
Administrador
 
Mensagens: 5081
Registado: quinta mai 21, 2009 9:51 pm
Localização: Braga

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor Duarte » sexta mar 25, 2011 12:38 am

ÚLTIMO ACTO
SEX 25 MAR 21,30h
teatro | companhia de teatro de braga
5|10€

Imagem

“Último Acto” de Anna Langhoff, foi representado pela primeira vez no Teatro Gorki, dirigido pela autora. Trata-se de uma peça que decorre durante um ensaio, próximo da estreia, a partir do momento em que o encenador é “visitado” pelo escritor/dramaturgo. Este deseja que aquele escolha dirigir um texto seu. Um retrato cruel e cómico sobre as relações de poder no teatro, um olhar descarnado sobre as práticas e a cultura teatrais e o entendimento ou desconhecimento que delas fazemos.
Último Acto é completado por “A Arte do Futuro”, de Alexej Schipenko, um texto onde também se fala de arte, de deus, da morte, do mundo, dos nossos desejos e medos.

Ficha artística e técnica:
de Rui Madeira, Anna Langhoff e Alexej Schipenko, com Solange Sá, Waldemar de Sousa, Rogério Boane, Frederico Bustorff Madeira e Vicente Magalhães | Assistência de Carlos Feio e André Laires | Tradução: Regina Guimarães e Helena Guimarães | Desenho de luz: Fred Rompante | Criação vídeo: Frederico Bustorff Madeira | Ambiente sonoro: Luís Lopes | Operação de luz: Vicente Magalhães | Criação gráfica: Carlos Sampaio | Fotografia: Paulo Nogueira
M16

A NONA - DIA MUNDIAL DO TEATRO
teatro | teatro do morcego
SÁB 26 MAR 21,30h
DOM 27 MAR 16,00h
5 | 10€

Imagem

O Teatro do Morcego, companhia residente de Narón, apresenta “A Nona”, uma comédia para tempos de crise que situa a acção numa família argentina, de origem italiana, onde existe uma avó (nona) de idade avançada. A “nona” come sem parar enquanto o resto da família caminha para a ruína e procura os mais diversos caminhos para ganhar dinheiro (prostituição, mendicidade, mentira…). Num momento de desespero, a família começa a tentar matar a “nona” mas são os membros da família que vão acabando mortos nessas tentativas de matar a “nona” até que, no final da história, acaba por restar apenas… a “nona”.

Ficha artística:
Autor: Roberto Cossa | Elenco: Miguel Pernas, Mundo Villalustre, César Goldi, Mónica Camaño, Miguel Varela, Elina Luaces, Iolanda Muíños | Cenografia: Carlos Alonso | Figurinos: Carlos Alonso | Desenho de Luz: David Deive | Produção: María Veiga | Cartaz e programa: Gaspar Alonso | Assistente de Direcção: María Veiga | Versão galega: Celso Parada | Técnicos: Anxo Graña, Lois Soaxe | Direcção Celso Parada
M12

DIA MUNDIAL DO TEATRO - PROGRAMAÇÃO

Leituras de Textos Dramáticos: Strindberg e Regina Guimarães & Saguenail
Comunidade de Leituras Dramáticas / bragaCult
25 Março, sexta-feira, 18h30, SN

Ultimo Acto e Arte do Futuro de Anna Langhoff e Alexej Schipenko, pela CTB
Conversa /Debate: O Teatro do Futuro com Alexej Schipenko, Anna Langhoff, Rui Madeira, Celso Parada.
25 Março, sexta-feira, 21h30, PA

Leituras de Textos Dramáticos: Tchekov e Abel Neves
Comunidade de Leituras Dramáticas/bragaCult
26 Março, sábado, 18h30, SN
|Days of War|
Avatar do Utilizador
Duarte
Administrador
 
Mensagens: 5081
Registado: quinta mai 21, 2009 9:51 pm
Localização: Braga

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor Duarte » sexta mar 25, 2011 5:40 pm

Ganhei um bilhete duplo para "A NONA" no passatempo do braga.com :D
|Days of War|
Avatar do Utilizador
Duarte
Administrador
 
Mensagens: 5081
Registado: quinta mai 21, 2009 9:51 pm
Localização: Braga

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor Duarte » segunda mar 28, 2011 4:00 pm

Imagem


ESSÊNCIAS DO ORIENTE
acto 5 - machina mundi | flauta e percussão
SÁB 02 ABR 21,30h
8€

Imagem

Em Essências do Oriente, o projecto Machina Mundi apresenta o som da flauta com percussão, numa viagem do Ocidente para o Oriente e vice-versa: compositores do mundo ocidental que se interessaram pelas sonoridades do Oriente e o seu contrário. Trata-se de um concerto invulgar, com duas intérpretes de excepção da Orquestra Sinfónica Portuguesa.
"Eis uma formação que é uma verdadeira pedrada no charco: faz concertos de música contemporânea que não são feios nem chatos! Sem cair em concessões fáceis, escolhe música variada e interessante, capaz de agradar a um vasto público – e a sua qualidade técnica e artística é de nível internacional."
in Jornal O Público
| Flautas: Katharine Rawdon | Percussão: Elizabeth Davis |
M3
|Days of War|
Avatar do Utilizador
Duarte
Administrador
 
Mensagens: 5081
Registado: quinta mai 21, 2009 9:51 pm
Localização: Braga

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor karlussantus » domingo mai 29, 2011 3:58 pm

Sara Tavares em Braga a 11 de Junho.
SARA TAVARES
SÁB 11 JUN 21,30h
Sala Principal 12 €
Imagem
Recentemente distinguida com o Prémio de Melhor Voz Feminina nos Cabo Verde Music Awards, Sara Tavares vem a Braga apresentar “Xinti”, álbum que teve a sua estreia ao vivo no Barbican Theatre de Londres.
Três anos depois de “Balancê”, “Xinti” surge repleto da luz que emana de todo o trabalho de Sara Tavares. E o desafio é lançado: “Xinti” ou “sente” porque este é um álbum para sentir.

“Este álbum não é sobre uma canção, é algo para sentir. A vida tem que dar voltas e mais voltas, como o mar. Tem que fervilhar, como uma sopa. Tens que a remexer para a tornar saborosa. Às vezes a vida tem que ser dura para resultar em algo puro…”

(Sara Tavares)

M12

http://www.theatrocirco.com/agenda/evento.php?id=727
Imagem
karlussantus
Administrador
 
Mensagens: 3614
Registado: quarta fev 20, 2008 6:41 am
Localização: Braga

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor karlussantus » quinta jun 09, 2011 7:41 pm

Imagem
MABLE JOHN
Blues | R&B
SÁB 18 JUN 21,30h

Sala Principal 12 €

Mable John tem uma carreira de 40 anos. Depois de ter gravado em 1962, com “The Supremes”, para a Motown, fez parte e dirigiu as “Ray Charles’ Raelettes”, trabalhando de muito perto com Ray Charles. Ao longo da sua carreira cantou com alguns dos maiores nomes da cena do Blues internacional como Billie Holliday, B.B. King, David Newman e Ray Charles.
Mable John foi o primeiro artista feminino a assinar pela “Motown” depois de passar pela editora de Gordy Jr. a Tamal. Em 1994, a fundação “Rhythm & Blues Foundation”, inclui Mable nos seus artistas mais famosos.
M12

http://www.theatrocirco.com/agenda/evento.php?id=729
Imagem
karlussantus
Administrador
 
Mensagens: 3614
Registado: quarta fev 20, 2008 6:41 am
Localização: Braga

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor Brc20 » terça set 06, 2011 6:08 pm

PARA SETEMBRO, O THEATRO CIRCO SUGERE...

Medeia Filmes


ROAD TO NOWHERE SEM DESTINO
12 setembro, segunda, 18h30 e 21h30, SP
Monte Hellman
2010 121’ M12 EUA
http://www.medeiafilmes.com
3 €


Um cineasta encontrou a matéria perfeita para a sua obra-prima: a história verídica da bela e misteriosa Velma Duran. Mas ao recriar o cenário trágico da sua morte, o jovem realizador percebe que nada sobre este caso é o que parece...






Festivais e Prémios:
- Festival de Cinema de Veneza – Leão de Ouro Especial
- Estoril Film Festival - Selecção Oficial

« O regresso de Monte Hellman […] resulta numa obra-prima absoluta.»
Vasco Baptista Marques, Expresso * * * * *

« […] no filme de Hellman há outro filme lá dentro e outra rodagem. E a atriz que vemos interpreta outra atriz, que por sua vez está a interpretar outra personagem, noutro filme, na mais extraordinária mise en abîme que se viu em muitos anos […]»
Francisco Ferreira, Expresso * * * * *

« […] a matéria que “Road to Nowhere” tem para explorar: a componente reflexiva, de filme sobre o cinema, sobre o cinema como ele se faz se faz e se vê hoje (os ecrãs electrónicos, os aparelhos de vídeo, etc.) e sobre o cinema como ele sempre foi (coisa abissal, mergulho sobre o ecrã, fascínio e perdições, espelhos e reflexos); e, não negligenciemos isto, uma infinita paciência para seguir, registar, deixar-se hipnotizar, pelos mais ínfimos e anódinos gestos da actriz principal, Shannyn Sossamon, ora luz ora sombra, quer dizer, actriz em “chiaroscuro” (o “casting”, o “casting” e o “casting” são as três tarefas mais importantes de um cineasta, diz o realizador do filme no filme, que se chama Mitchell Haven […]). Nesse ponto, o filme e o filme no filme tocam-se: são ambos dominados pelo inexorável fascínio por uma mulher, dúplice e misteriosa.»
Luís Miguel Oliveira, Público * * * *

«É um filme moderníssimo, e fascinante no seu modernismo. Trata-se, afinal, de questionar os limites do próprio trabalho cinematográfico, num mundo em que a crença nas coisas reais está claramente posta em causa pela vertigem das ilusões virtuais. Para mais, Hellman transforma as suas máquinas digitais em personagens que, por assim dizer, discutem com os humanos a verdade daquilo que vemos e ouvimos.
Curiosamente, “Sem Destino” está longe de ser estranho a toda uma herança plural, de abordagem do cinema-dentro-do-cinema. Hellman retoma, aqui, os caminhos labirínticos de grandes clássicos como “Cativos do Mal/The Bad and the Beautiful” (Vincente Minnelli, 1953) ou “Assim Nasce uma Estrela/A Star Is Born” (George Cukor, 1954): para além das inevitáveis diferenças, ontem como hoje, trata-se de filmar o cinema como um revelador das relações humanas.»
João Lopes, Cinemax RTP



AURORA
19 setembro, segunda, 18h00 e 21h30, SP
Cristi Puiu
2010 181’ M12 Roménia
http://www.medeiafilmes.com
3 €



Num terreno baldio, na periferia da cidade, por detrás de uma fila de caravanas abandonadas, um homem observa em silêncio o que parece ser uma família. Na mesma cidade, o mesmo homem percorre o trânsito munido de dois percutores de caçadeira feitos à mão. O homem tem 42 anos e chama-se Viorel. Perturbado por pensamentos obscuros, atravessa a cidade com um destino que só ele conhece…




Festivais e Prémios:
Festival de Cannes – Quinzena dos Realizadores
Estoril Film Festival – Em Competição

« Cristi Puiu foi o realizador de “A Morte do Sr. Lazarescu”, o filme que deu o sinal de arranque para a descoberta de um cinema romeno (enfim) revigorado, e depressa convertido, por acção de Puiu mas também de outros cineastas (Cristian Mungiu, Corneliu Porumboiu, sobretudo estes), em coqueluche do circuito internacional “alternativo”. […] é com “Aurora” que Cristi Puiu nos parece confirmar-se como o mais entusiasmante, eventualmente o mais profundo (até, digamos, metafisicamente falando), desta leva de cineastas romenos.
[…] Ocorre-nos que talvez nunca se tenha feito na Europa um filme tão parecido com o “Táxi Driver” de Scorsese. Uma personagem “inadaptada” mas de cuja “inadaptação” pouco ou nada sabemos de concreto, o comportamento obsessivo desmultiplicado (também) em rotinas (como Travis Bickle, o Sr Ginghea conduz vagarosamente o seu automóvel pelas ruas de Bucareste), um desfasamento fundamental entre o olhar da personagem e o olhar do espectador. […] A grande força, propriamente cinematográfica de “Aurora” está na atenção milimétrica aos detalhes, aos gestos, à continuidade das acções, a um tratamento do tempo que de “corpo” cada cena, cada plano confere-lhes uma “espessura” […] “Aurora” é obra de grande cineasta, juramos por isto.»
Luís Miguel Oliveira, Público * * * *

«A produção cinematográfica da Roménia continua a surpreender: “Aurora”, de Cristi Puiu, é uma visão crua e desencantada de um quotidiano marcado pela decomposição das relações tradicionais. Se é verdade que o realismo é uma das principais forças criativas do mais interessante cinema contemporâneo, então, mais do que nunca, importa dizer: contem com a Roménia!»
João Lopes, Diário de Notícias * * * *

«É o mais recente elo numa cadeia de filmes que, na última década, se tornaram notados pela sua originalidade e militante diferença. […] Este “Aurora” de Cristi Puiu (autor inteiro, pois escreve, dirige e protagoniza) é a emergência mais recente de um fenómeno que já é uma imagem de marca do cinema deste novo século – e que vale muito a pena conhecer e questionar.»
Jorge Leitão Ramos, Expresso




A DANÇA LE BALLET DE L’OPERA DE PARIS
26 setembro, segunda, 18h30 e 21h30, SP
Frederick Wiseman
2009 159’ M12 França
http://www.medeiafilmes.com
3 €



A companhia de bailado Le Ballet de l`Opera de Paris é uma das melhores e mais conceituadas do mundo.
Em A DANÇA, Frederick Wiseman filma o quotidiano da escola francesa de ballet conhecida pela sua exigência e rigor.

É um dos acontecimentos culturais do ano, a estreia comercial no nosso país de um dos “mitos cinematográficos do nosso tempo”: Frederick Wiseman, que, em Paris, filmou A DANÇA – LE BALLET DE L’OPERA DE PARIS.






« […] um filme sobre o Ballet da Ópera de Paris, construído com uma extraordinária dissimulação da câmara, que parece nada afetar o normal curso dos trabalhos, como se, anónima, fizesse parte do mobiliário e pudesse olhar sem intervir. Esta será a primeira qualidade da fita, que, todavia, impressiona, desde o primeiro fotograma, por um facto muito simples e notório: nenhum plano, mesmo o que se afigura mais anódino, está descomposto, em termos de organização espacial, luz, cromatismo e até, a partir de certo momento, no que respeita às filmagens dos diversos fragmentos de bailados que o filme contém, em relação ao ponto de vista, ao lugar onde a câmara se posiciona.»
Jorge Leitão Ramos, Expresso * * * *

« [Frederick Wiseman] é um enorme cineasta, e um nome fundamental (e “seminal”) no documentário moderno [… “A Dança” é] uma cartografia da companhia de “ballet” da Ópera de Paris.
Cartografia em sentido próprio, porque Wiseman filma sempre um espaço definido – é, aliás, e de modo tradicionalmente wisemaniano, por lá que se começa, numa série de “establishing shots” que percorrem Paris e vão dar ao Palais Garnier, primeiro às “catacumbas” depois aos pisos “habitados” desse palácio onde está instalada a companhia (a ópera aparecerá mais tarde, o fantasma da dita ficou logo evocado nas catacumbas). E cartografia em sentido figurado, “social” (as relações e as hierarquias) e “humana” (porque em última análise é isso que Wiseman faz há quarenta anos: filmar seres humanos nos seus habitats, em relação uns com os outros).»
Luís Miguel Oliveira, Público * * * * *

« Wiseman é um caso singularíssimo da história do género documental: o seu método, paciente e elaborado, consiste em observar um lugar ou uma instituição para celebrar a complexidade das suas relações internas. Assim volta a acontecer nesta deambulação pelos bastidores da Ópera de Paris: um retrato do trabalho minucioso da dança, de uma só vez preciso, luminoso e estranhamente poético.»
João Lopes, Diário de Notícias * * * * *

« É um olhar sobre o Ballet da Ópera de Paris mas é também, uma reflexão sobre o corpo ao serviço de uma estrutura que o serve. “La Danse”, poderoso filme-documentário, chega às salas para mostrar que a dança não surge do nada.»
Tiago Bartolomeu Costa, Público]



ÀS SEGUNDAS-FEIRAS, AS PROPOSTAS SÃO DA MEDEIA FILMES
CINEMA, OUTRA VEZ CINEMA, MAIS UMA VEZ CINEMA.


A frase em cima é do poeta e jornalista (e cinéfilo compulsivo) Eduardo Guerra Carneiro, para quem ir ao cinema com regularidade era, como escreveu, uma “necessidade física”. Usamo-la para dar notícia de uma ligação que se retoma. Nos anos 90 a Medeia Filmes foi responsável pela programação de cinema do Teatro Circo de Braga e, a partir de 12 de Setembro, retoma essa ligação, ao Theatro e à cidade, com a programação regular de 2 sessões diárias todas as segundas-feiras.

Poderemos assistir ao que de melhor o cinema nosso contemporâneo tem para nos oferecer, aos filmes que os melhores festivais de cinema do mundo seleccionaram e premiaram. Obras que continuam a arriscar, experimentar, inovar. Que mexem connosco e ficam para além da tela e do momento.

A abrir, uma “obra-prima absoluta”, “moderníssima e fascinante”, “um acontecimento”, como se lhe referiu a crítica, ROAD TO NOWHERE / SEM DESTINO, do “cineasta sublime” (Tarantino dixit) Monte Hellman (Leão de Ouro Especial no último Festival de Veneza), “um dos mais fulgurantes criadores do cinema made in USA” (João Lopes). Até ao final do ano veremos ainda obras de uma das cinematografias mais aplaudidas do momento, a romena (filmes de Cristi Puiu e Andrei Ujica), os novos filmes de cineastas fundamentais como Abdellattif Kechiche, Alain Cavalier, os irmãos Dardenne, Lars Von Trier, Cristophe Honoré, ou, mais jovens, como Mathieu Amalric ou Alix Delaporte, entre muitos outros. Em exclusivo. Sempre às segundas-feiras.

Contamos consigo.

(Medeia Filmes)


via http://theatrocirco-cinema.blogspot.com/


Três filmes que me parecem interessantíssimos! Estou com enorme vontade de ver o primeiro e o terceiro, as críticas são excelentes!
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor Brc20 » quinta Oct 27, 2011 11:15 am

Braga: Theatro Circo assinala hoje cinco anos da reabertura e um balanço de 300 mil espetadores

BRAGA
2011-10-27
autor-Lusa


O diretor do Theatro Circo considera 'positivo' o balanço dos cinco anos após a reabertura, hoje assinalados, e revela que a 'sala' que se tornou 'espaço da memória coletiva da cidade' recebeu mais de 300 mil espetadores neste período.

Em entrevista à Agência Lusa, o diretor do Theatro Circo, Rui Madeira, considerou que o balanço dos cinco anos do renovado teatro é 'positivo', tendo em conta 'os meios e a realidade envolvente' da cidade.

'Nestes cinco anos o panorama da região alterou-se. Há novos equipamentos culturais a funcionar, a crise fez com que as pessoas cortassem na ida a espetáculos e é preciso também ter em conta a falta de educação para a cultura que reina em Portugal', disse.

Ainda assim, revelou, a sala promoveu 'cerca de 900 espetáculos e atividades como ações de formação, cinema, visitas guiadas', tendo, no total, 'recebido mais de 300 mil espetadores'.

Sobre os frequentadores, Rui Madeira adiantou que segundo os estudos recentes 'é sobretudo um público com um grau de conhecimento alto' e 'dividido maioritariamente em duas faixas etárias, uma abaixo dos 35 anos e outra acima dos 50 anos'.

A recuperação do Theatro Circo foi, contou, 'um projeto que demorou oito anos a concluir' e foi o 'culminar' de um trabalho 'que começou ainda nos anos 1980'.

Esta 'remodelação' foi a 'primeira grande reforma' do Theatro Circo desde que foi fundado, em 1915, explicou o responsável, dizendo ainda que 'as obras foram fundamentais para dotar o equipamento de capacidades para aguentar os próximos 40 anos'.

Para Rui Madeira, o Theatro Circo 'tornou-se um espaço da memória coletiva da cidade' e, por isso, 'vai ter de ser um lugar de relevo na dinâmica cultural e social de Braga', pois 'é património da cidade, físico e imaterial enquanto memória'.

Apesar do 'balanço positivo', o responsável pelo Theatro Circo afirmou estar 'preocupado' e 'expectante' com 'os próximos tempos'.

Em 2012, a 'sala' enfrenta um 'grande desafio': 'conviver com a Capital Europeia da Cultura (CEC) Guimarães 2012'.

'Vamos apostar na complementaridade', esclareceu Rui Madeira.

'O Theatro Circo não pode ter espetáculos no mesmo dia que a CEC. São realidades distintas, com orçamentos distintos e não queremos ser comparados, até porque não há ponto de comparação', defendeu.

A programação do Theatro Circo será, em 2012, 'focada na valorização da programação da criação artística nacional diferenciando-se assim da de Guimarães 2012'.

Além da criação de marca nacional, o Theatro Circo vai 'valorizar ainda mais a questão da formação de públicos', explanou o responsável.

Aliás, a 'formação e educação para a cultura' é algo que deixa o diretor do Theatro Circo 'preocupado' e o faz a tecer críticas ao Governo.

'Este aumento do IVA sobre os espetáculos vai ter um forte impacto nas bilheteiras. Mas mais importante do que isso é que esta medida demonstra a forma economicista como o Governo encara a cultura', acusou.

Segundo Rui Madeira, 'o problema não é a medida em si', mas o facto do Governo 'olhar para a cultura e a considerar um objeto de luxo'

Esta visão da cultura é, avisou, 'um erro estratégico, de memória e da cidadania'.



Correio do Minho

O Theatro Circo na minha opinião, neste momento é um projecto falhado.
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor JoaoLoureiro » quinta Oct 27, 2011 1:23 pm

Hoje o Theatro Circo comemora 5 anos da reabertura e, para além do concerto de Rodrigo Leão, vai ter, pela primeira vez, uma festa dentro das suas instalações.

Imagem

Entrada gratuita para quem já tiver bilhete para o concerto de Rodrigo Leão e 2€ para quem só quiser ir à festa.

Vai ser alta cobóiada com O Bom, O Mau e O Vilão!

Apareçam!


[Link para o evento]
Imagem
Avatar do Utilizador
JoaoLoureiro
Arcebispo
 
Mensagens: 342
Registado: sábado abr 04, 2009 2:24 pm
Localização: Braga

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor karlussantus » quinta dez 01, 2011 4:19 pm

LAGO DOS CISNES
BailadoLAGO DOS CISNES

SEX 16 DEZ 21,30h

Sala Principal 22 | 25 €


O “Lago dos Cisnes” é considerado o mais espectacular dos bailados clássicos, repleto de romantismo e beleza: a coreografia exige dos bailarinos destreza e aptidão técnica na representação das personagens da história. A sua popularidade é por outro lado motivada pela música inspirada de Tchaikovsky, mas também a coreografia inventiva e expressiva de Petipa que, relacionando o corpo humano com os movimentos de um cisne, revela a sua genialidade, o seu potencial coreográfico e criatividade artística.
O “Lago dos Cisnes” narra a história de um príncipe que procura a mulher ideal e vê na figura do cisne a suavidade e o encanto feminino, que o deixam loucamente apaixonado. Mas, na verdade, o cisne é a transfiguração de uma bela princesa encantada, um tema de verdadeira poética romântica.

Música: Pyotr Ilyich Tchaikovsky | Libreto: Vladimir Begichev e Vasily Geltzer | Coreografia: Marius Petipa e Lev Ivanov | Cenografia: Evgeny Gurenko | Figurinos: Irina Ivanova | Desenho de luz: Denis Danilov | Première a 27 de Fevereiro de 1877, no Teatro Bolshoi, em Moscovo
M3

http://www.theatrocirco.com/agenda/evento.php?id=761

Um ano inteiro para finalmente se ver um grande bailado clássico em Braga.
Imagem
karlussantus
Administrador
 
Mensagens: 3614
Registado: quarta fev 20, 2008 6:41 am
Localização: Braga

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor karlussantus » sexta dez 02, 2011 12:13 am

Hoje (2 Dez) no Theatro Circo
Imagem
Depois de uma intensa digressão com o álbum “Longe”, Pedro Abrunhosa altera o repertório e prepara um espectáculo intimista ao qual deu o nome “Canções”.
Em formato quinteto e num registo mais tranquilo, o artista portuense propõe-se agora a um conjunto especial de concertos que, para além de aquecer os serões de muitas cidades portuguesas, assinala o regresso do músico à Sala Principal do Theatro Circo.
M6


http://www.theatrocirco.com/agenda/evento.php?id=758
Imagem
karlussantus
Administrador
 
Mensagens: 3614
Registado: quarta fev 20, 2008 6:41 am
Localização: Braga

Re: Theatro Circo - Programação

Mensagempor Brc20 » segunda dez 05, 2011 12:58 pm

A Banda Mais Bonita da Cidade contagia Braga


Escrita por Tânia Azevedo domingo, 04 dezembro 2011 23:04



Foi com a publicação de "Oração", nas redes sociais, que a banda brasileira se apresentou ao mundo. E foi no palco do Theatro Circo que o grupo provou estar longe de se tornar uma banda de 'One Hit Wonder'.

Sábado, 3 de dezembro, foi dia de estreia d'A Banda Mais Bonita da Cidade, em Braga. Foi noite de o grupo brasileiro subir ao palco do Theatro Circo, depois do concerto da última noite no Vodafone Mexefest, em Lisboa.

Tocavam as 21h30 quando apareceram em palco Uyara Torrente, na voz, Diego Plaça, no baixo, Luís Bourscheidt, na bateria, Rodrigo Lemos, na guitarra, e Vinícius Nisi, no teclado e piano infantil.

O primeiro disco da banda deu o mote para um concerto de cerca de 75 minutos que Hernâni Braga, um dos elementos do público, descreveu como "empático, intimista e alegre", mas não só. A prová-lo estão as dezenas de comentários no mural da página do Facebook da banda: "transmitem felicidade de uma forma tão simples e honesta que contagia"; "os integrantes da banda são super humildes, simpáticos, talentosos. As canções são contagiantes".

A abrir o concerto ecoaram no auditório os versos da "Cantiga de dar Tchau". Logo aí ficou a promessa de uma sonoridade versátil que evoca um indie pouco convencional, lembra a música popular brasileira, e toca ao de leve o rock alternativo.

A plateia foi embalada com o registo mais melancólico dos temas "Se eu corro" e "Nunca" e a vibração mais sombria d' "A Balada da Bailarina Torta". O timbre mais espiritualista da noite surgiu com "Ótima", música aplaudida com entusiasmo.

Até aqui nenhuma nota desafinada e uma interpretação intensa de cada música por parte da vocalista – também atriz - que, se num momento, mantinha uma postura calma e nostálgica, no seguinte surgia com exaltação e excentricidade.

O tema "Boa Pessoa" foi o que rasgou mais sorrisos na audiência, que acompanhou a melodia com o movimento das mãos levantadas.

Nos últimos momentos do espetáculo, o grupo sentou-se na berma do palco e apresentou a sua versão de uma música portuguesa muito aclamada pelo público: "Capitão Romance", dos Ornatos Violeta. O agrado foi tanto que duas meninas da plateia sambaram ao som do registo samba-rock da cover.

Já próximo do fim, a banda tocou a última "Oração" do concerto, o hit tão esperado, que apesar de ter feito o público levantar-se e ter contagiado o auditório com uma alegria minimalista, tornou-se apenas uma pequena parte de todo o caleidoscópio musical apresentado.

A Banda Mais Bonita Da Cidade voltou, ainda, num encore, a jeito de agradecimento pelo carinho que o público lhe mostrou na sua primeira tournée fora do Brasil.

No fim, ficaram os agradecimentos da banda, os mais que muitos aplausos à beleza d'A Banda Mais Bonita Da Cidade e a chuva lá fora.



ComUM
Brc20
Arcebispo
 
Mensagens: 1316
Registado: quarta mar 05, 2008 5:17 pm

AnteriorPróximo

Voltar para Cultura e Eventos

Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante

cron